Views
5 months ago

NEARSHORE EM PORTUGAL ESTUDO SOBRE TENDÊNCIAS NA GESTÃO DE TALENTO

  • Text
  • Organizações
  • Futuro
  • Apdc
  • Portugal
  • Retenção
  • Nearshoring
  • Outsourcing
  • Gestao
  • Desafios
  • Estudo
  • Talento
  • Recrutamento
  • Nearshore
  • Colaboradores
  • Empresas
Este estudo resultou de uma parceria entre a AON, a APDC e a Experis. Foi realizado entre junho e setembro de 2019, contando com a participação de 30 empresas com negócios em todos os continentes, numa altura em que as empresas prestadoras de serviços de nearshoring em IT deparavam-se com a escassez de talentos e a dificuldade na sua retenção. Por este motivo, a Secção Portugal Outsourcing da APDC, considerou que era importante conhecer quais são os fatores que mais impactam a retenção de talento, analisar os principais desafios na gestão de pessoas e como as organizações planeiam o seu futuro. No total, as empresas inquiridas representam uma força de trabalho em torno dos 40 mil colaboradores.

RECRUTAMENTO

Percentagem de empresas abrangidas pelo estudo que faz recrutamento direto no mercado 81% Verifica-se que a experiência de recrutamento mais comum assenta na utilização de diversos canais em simultâneo: empresas de recrutamento, redes sociais e ligação a universidades, entre outras iniciativas semelhantes. A experiência do candidato no processo de recrutamento é sempre o primeiro passo no employee experience com a organização, sendo por isso importante que seja positiva, digital e inovadora, mas também honesta e transparente. EMINENTE NECESSIDADE DE ANÁLISE MAIS PREDITIVA COM BASE EM D&A 25% para cargos seniores Recrutamento de níveis seniores Nesta era digital, o recrutamento para funções de chefia deve ser considerado como umas das principais decisões da organização, pois do seu sucesso depende a capacidade de inovar e de se manter competitiva e até de ser capaz de permanecer no mercado. Os líderes da era digital terão de fortalecer as suas competências no que respeita à aceitação da mudança e à motivação das suas pessoas. Deverão, ainda, desenvolver capacidades de dinamização do espírito colaborativo e inclusivo entre colaboradores e no empowerment a outros, para que sejam eles próprios agentes de mudança e gestores do seu próprio desenvolvimento pessoal e profissional. Acima de tudo, os líderes têm que ser humildes na aceitação do feedback regular e contínuo dos seus colaboradores e no reconhecimento de que todas as opiniões são e devem ser consideradas importantes e válidas, no que respeita a temas relevantes para a organização. Nearshore | Tendências na Gestão de Pessoas 7

REVISTA COMUNICAÇÕES

UPDATE

© APDC. Todos os direitos reservados. Contactos - Tel: 213 129 670 | Email: geral@apdc.pt