Views
1 year ago

Directório Global das TIC | Empresas e Profissionais | 2018/2019

  • Text
  • Principais
  • Workplace
  • Empresas
  • Mobile
  • Dados
  • Digital
  • Portugal
  • Lisboa
  • Computing
  • Disponibilizadas

24 | OPINIÃO DIRETÓRIO

24 | OPINIÃO DIRETÓRIO DAS TIC | 25 FERRAMENTA DE AVALIAÇÃO DE MATURIDADE RGPD IDC & SAP BRUNO HORTA SOARES | XXX XXXXX, IDC PORTUGAL O MOMENTO PERFEITO PARA EVOLUIR A MATURIDADE ORGANIZACIONAL DA GESTÃO DA INFORMAÇÃO COM A “FERRAMENTA DE AVALIAÇÃO DE MATURIDADE RGPD” Afinal o mundo não acabou a 25 de maio de 2018! É por isso o momento certo para (respirar de alívio e) evoluir a maturidade organizacional da Gestão da Informação, em particular no que refere à melhoria do sistema de informação na resposta aos desafios presentes e futuros de Gestão da Privacidade dos dados pessoais num contexto Regulamento Geral de Proteção de Dados (RGPD), e complexos e, sobretudo, de Gestão dos Direitos dos Titulares dos Dados perante um novo paradigma de centralidade nas experiências do ecossistema e aumento da importância da confiança e transparência entre todas as partes interessadas. A Privacidade, a Segurança e a gestão de Informação Pessoalmente Identificável (PII) estão entre os principais desafios que estão a impactar a forma como as Empresas criam valor e em particular a forma de atuação de áreas como as vendas ou o marketing. As cada vez mais frequentes notícias de incidentes relacionados com Dados Pessoais têm vindo a abalar a confi ança na sustentabilidade dos conceitos de privacidade e segurança num contexto digital. E o futuro não prevê melhorias, com a IDC a estimar no seu estudo Worldwide Security Products and Services 2018 Predictions que até 2021, 25% dos dados pessoais serão comprometidos e estarão disponíveis em Data LAkes da Dark Web para consulta e utilização por consórcios de agentes de ameaças. Apesar dos esforços de evolução dos regulamentos proteção de dados, este é um tema que está longe de estar encerrado e certamente os modelos de proteção de dados continuarão a evoluir nos próximos anos. De uma forma geral os profissionais irão precisar de ter cuidado com a intensidade com que acreditam na ideia de que “os dados são o novo petróleo”, sobretudo na extrapolação de que se trata de um recurso para ser explorado e usado como qualquer outra matéria prima. A regra de ouro sobre a Privacidade é: Qualquer tipo de exploração, seja ela real ou percebida, resulta sempre numa má experiência para o cliente. Os Dados são sem dúvida um ativo fundamental para as Empresas que pretendem criar valor em contextos de Transformação Digital e quando recolhidos, usados e protegidos de forma adequada podem ser altamente benéficos para todas as partes interessadas. Quanto mais uma Empresa sabe sobre os seus Clientes, teoricamente, mais valor pode oferecer além dos seus produtos e serviços e os Clientes podem beneficiar de experiências mais diferenciadas em termos de tempo, frequência, conteúdo e canal (ex. truques e dicas, recomendações, benchmark). Por outro lado, as Empresas ganham uma visão mais precisa sobre a forma como os comportamentos dos Cliente se traduzem em atividade económica, podendo alocar melhor os recursos de marketing e vendas e entender como desenvolver as relações com base nas necessidades, desafios e aspirações específicas de cada Cliente. Este contexto tem levado ao surgimento de plataformas tecnológicas de gestão de Dados que possibilitem uma abordagem mais aberta do tratamento dos dados pessoais, permitindo que ambos os lados tenham uma participação ativa na gestão do ciclo de vida A REGRA DE OURO SOBRE A PRIVACIDADE É: QUALQUER TIPO DE EXPLORAÇÃO, SEJA ELA REAL OU PERCEBIDA, RESULTA SEMPRE NUMA MÁ EXPERIÊNCIA PARA O CLIENTE

REVISTA COMUNICAÇÕES

UPDATE

© APDC. Todos os direitos reservados. Contactos - Tel: 213 129 670 | Email: geral@apdc.pt