Views
1 year ago

Directório Global das TIC | Empresas e Profissionais | 2014/2015

20 Opinião Diretório

20 Opinião Diretório Global das TIC empresas e profissionais 21 públicos, o que indica uma população altamente envolvida. De acordo com este relatório, os Governos Digitais de alto desempenho focam-se na sua estratégia digital, a qual está profundamente enraizada na agenda do Governo e das reformas públicas; mantêm o investimento a longo prazo em tecnologias de informação e comunicação (TIC) e na “digitalização” dos serviços públicos essenciais, designadamente nos impostos, na segurança social e na saúde; aproveitam o poder das novas tecnologias, como as redes sociais, mobilidade, analytics, big data e cloud; e promovem uma forte cultura de colaboração e partilha de dados. É possível assim sintetizar que os Governos Digitais mais desenvolvidos são aqueles que, naturalmente, melhor partido tiram dos novos modelos e ferramentas de relacionamento, promovendo uma forte cultura de colaboração, mas são também aqueles que têm uma estratégia mais sólida e enraizada nas políticas públicas e que investem de forma sustentada na sua concretização. Cidadãos Digitais exigem Governos Digitais Para determinar as percepções dos cidadãos quanto ao Governo Digital, a Accenture entrevistou 5.000 pessoas em todos os 10 países do estudo mencionado anteriormente. A pesquisa constatou que a maioria dos entrevistados - 81% - gostariam que o seu Governo fornecesse mais serviços através de canais digitais, e 64% gostaria de usar as redes sociais para interagir com a Administração Pública. De acordo com a mesma pesquisa, os cidadãos, habituados a interagir online com operadores privados como os retalhistas e os bancos, também querem envolver-se digitalmente com o seu Governo, conectando-se através de dispositivos móveis, disponíveis 24 horas por dia, 7 dias por semana. No entanto, apesar das elevadas expectativas, a pesquisa constatou que menos de 40% dos cidadãos inquiridos estão satisfeitos com a qualidade dos serviços públicos que o seu país oferece actualmente. O estudo concluiu que, como os mercados mais maduros - como os Estados Unidos e o Reino Unido – enfrentam desafios orçamentais significativos, estão mais focados na redução de custos e, consequentemente, a diminuir o investimento em iniciativas digitais. Esta redução tem um impacto directo na satisfação dos cidadãos, conforme evidenciam os resultados da pesquisa, para os cidadãos destes países, designadamente dos EUA, em que apenas 28% dos inquiridos estão satisfeitos com a qualidade de seus serviços públicos, e a maioria considera que o governo não está a priorizar as suas necessidades de forma adequada. Concluindo, e tendo por base uma afirmação de Bernard Le Masson, executivo da Accenture responsável pelo estudo mencionado anteriormente, as novas tecnologias digitais estão não só a mudar a maneira como vivemos, trabalhamos e interagimos uns com os outros, mas estão também a oferecer oportunidades sem precedentes para a Administração Pública se transformar radicalmente e tornar-se mais ágil e centrada no cidadão, mais eficiente e inovadora. E a melhor notícia para os Governos é que, à medida que as Administrações Públicas se tornam mais digitais e trabalham para garantir que a maioria dos cidadãos têm acesso online, competências digitais e uma voz na concepção dos serviços públicos, são recompensados com altos níveis de envolvimento, responsabilidade e confiança dos cidadãos.

REVISTA COMUNICAÇÕES

UPDATE

© APDC. Todos os direitos reservados. Contactos - Tel: 213 129 670 | Email: geral@apdc.pt