Views
4 weeks ago

COMUNICAÇÕES 244 - Missão: refundar a rede SIRESP

  • Text
  • Estrategia
  • Cisao
  • Potencial
  • Mudanca
  • Casos
  • Digital
  • Tranformacao
  • Evolve
  • Ecossistema
  • Portugal
  • Futuro
  • Entrevista
  • Emergencia
  • Sistema
  • Catástrofes
  • Infraestrutura
  • Soberania
  • Redes
  • Estado
  • Desafios
À CONVERSA - Paulo Viegas Nunes está a refundar a rede SIRESP | EM DESTAQUE – Saiba tudo sobre o EVOLVE, o grande evento de transformação digital | NEGÓCIOS – Um ano depois, veja os impactos do spinoff da IBM e da criação da Kyndryl | MANAGEMENT - Construir uma cultura de empresa ajustada aos novos tempos é o desafio das lideranças | PORTUGAL DIGITAL – Conheça as ambições do Portugal Tech Hub | APDC NEWS – Veja os mais recentes eventos da Associação | ITECH - Bruno Mota é o entrevistado | 5 PERGUNTAS – a Paolo Favaro, líder da Vantage Towers |

negocios Há divórcios

negocios Há divórcios felizes Nem todas as cisões têm de ser problemáticas. A que esteve na origem da criação da Kyndryl, um spin off da IBM, não podia ter corrido melhor. Texto de teresa ribeiro Fotos de vítor gordo/syncview e iStock 40

Ricardo Martinho, presidente da IBM Portugal, sorri da expressão divórcio quando aplicada a esta separação e corrige: “Acho que, mais do que um casal, éramos dois irmãos que foram viver para países diferentes. Falamos na mesma, queremos continuar a dar-nos bem, mas claro que os irmãos vão fazendo a sua vida”. Este tom desapaixonado reflete a tranquilidade que se verificou em todo o processo que ditou a autonomização da Unidade de Gestão de Infraestruturas da IBM, um departamento que já era muito antigo na organização. O porquê desta decisão tem a ver com uma mudança estratégica decidida pela corporação a nível global: “A IBM resolveu focar- -se mais na área tecnológica. A bem dizer, foi quase um regresso às origens: sempre fomos conhecidos pela tecnologia que criávamos – e criamos – mas, ao dispersarmos o nosso modelo de negócio para as áreas de gestão e infraestruturas, estávamos a ficar mais focados na gestão do próprio contrato e do próprio serviço do que propriamente na tecnologia e isso começou a sentir-se. Na verdade, a IBM não estava a transmitir tudo o que ia realizando a nível tecnológico”, explica o gestor. Este processo, diz Ricardo Martinho, teve na compra da Red Hat (uma empresa da área da hybrid cloud) o seu ponto de ignição: “Fizemos essa aquisição, transformámos aquilo que era a nossa tecnologia face a esse desafio, para conseguirmos ser uma empresa tecnológica focada no que são os princípios da cloud híbrida e da inteligência artificial”. 41

REVISTA COMUNICAÇÕES

UPDATE

© APDC. Todos os direitos reservados. Contactos - Tel: 213 129 670 | Email: geral@apdc.pt