Views
4 weeks ago

COMUNICAÇÕES 244 - Missão: refundar a rede SIRESP

  • Text
  • Estrategia
  • Cisao
  • Potencial
  • Mudanca
  • Casos
  • Digital
  • Tranformacao
  • Evolve
  • Ecossistema
  • Portugal
  • Futuro
  • Entrevista
  • Emergencia
  • Sistema
  • Catástrofes
  • Infraestrutura
  • Soberania
  • Redes
  • Estado
  • Desafios
À CONVERSA - Paulo Viegas Nunes está a refundar a rede SIRESP | EM DESTAQUE – Saiba tudo sobre o EVOLVE, o grande evento de transformação digital | NEGÓCIOS – Um ano depois, veja os impactos do spinoff da IBM e da criação da Kyndryl | MANAGEMENT - Construir uma cultura de empresa ajustada aos novos tempos é o desafio das lideranças | PORTUGAL DIGITAL – Conheça as ambições do Portugal Tech Hub | APDC NEWS – Veja os mais recentes eventos da Associação | ITECH - Bruno Mota é o entrevistado | 5 PERGUNTAS – a Paolo Favaro, líder da Vantage Towers |

a conversa 14 “Não

a conversa 14 “Não tenho problema nenhum em que o SIRESP esteja no radar da opinião pública. Pelo contrário, gostaria que, de forma justa, estivesse mais nesse radar, pelo valor que adiciona à sociedade”

Paulo Viegas Nunes, o brigadeiro-general do Exército que hoje está à frente do SIRESP – Sistema Integrado de Redes de Emergência e Segurança de Portugal, é um doer, mas também um estratega. Antes de avançar no terreno, já tem na cabeça um mapa onde está tudo definido: objetivos, processos, prazos a cumprir. Acreditou sempre que a única forma de pôr a rede de segurança nacional a funcionar em pleno seria entregando-a ao Estado, como acabou por acontecer. Por isso, sentiu-se muito confortável quando assumiu a presidência da SIRESP SA. Agora, é ele que a tem nos braços. “Uma rede de soberania”, como gosta de frisar, “a infraestrutura de comunicações que assegura, em caso de catástrofe, a resposta articulada entre as várias áreas de governação”. Diz que hoje, numa tragédia como a que ocorreu em 2017, durante os fogos florestais, a inoperância do SIRESP já não faria manchetes. Afirma-o sem pestanejar, convicto de que a reestruturação do serviço que está a levar a efeito vai transformar o SIRESP em algo de que se poderá orgulhar. Quando der a missão por cumprida, provavelmente já estará a namorar outro projeto que o seduza. Sendo que, neste contexto, sedução significa algo que desafie as suas capacidades de organização e entrega. Apaixonado pelos temas da cibersegurança e guerra da informação – tema que escolheu para escrever a sua tese de doutoramento – Paulo Viegas Nunes está a acompanhar a guerra entre a Rússia e a Ucrânia com grande emoção. Diz que este conflito é um cenário de teste, onde se pode ver em ação armamento de última geração, mas também a guerra de informação em toda a sua pujança. Aos 56 anos, segue o pulsar do mundo com o mesmo fascínio de quando era criança e acompanhava o pai, também militar, pelas várias geografias onde esteve, em serviço. Licenciado em Engenharia Eletrotécnica pelo Instituto Superior Técnico, defendeu mais tarde a sua tese de doutoramento na Universidade Complutense de Madrid, onde alcançou a classificação máxima e grau de Doctor Europeo (reconhecido em toda a Europa). Cumpriu várias missões ao serviço da ONU, da nato e União Europeia e em 2017 foi nomeado comandante na Nato Communications and Information Systems School, em Latina (Itália). Tinha acabado de ser escolhido para liderar a Direção de Comunicações e Sistemas de Informação do Exército quando o convidaram para o SIRESP. Na altura, correu que era a pessoa certa para o lugar certo. Confrontado com essa informação, escusou-se a comentar, mas sente-se que veste um fato à medida. 15

REVISTA COMUNICAÇÕES

UPDATE

© APDC. Todos os direitos reservados. Contactos - Tel: 213 129 670 | Email: geral@apdc.pt