Views
3 months ago

COMUNICAÇÕES 243 - Digitalizar é a sua password

  • Text
  • Portugal
  • Europa
  • Trabalho
  • Talento
  • Simplex
  • Dbc2022
  • Congresso
  • Mudanca
  • Governo
  • Campolargo
  • Cryptomoedas
  • Businesscases
  • Empresas
  • Economia
  • Futuro
  • Mercado
  • Tecnologia
  • Digital
  • Digitaltransformation
  • Digitalbusinesscommunity
À CONVERSA - Mário Campolargo acredita que o futuro se faz com passos SIMples; EM DESTAQUE - 31º Digital Business Congress: o balanço; NEGÓCIOS - Como se vai reposicionar o mercado depois do crash das criptomoedas?; MANAGEMENT – Não há revoluções sem dor; 5 PERGUNTAS a Andrés Ortolá, diretor-geral da Microsoft; I TECH - Ricardo Martinho, presidente da IBM; CIDADANIA - Um modelo de recrutamento muito à frente

a abrir 6 CURIOSIDADE:

a abrir 6 CURIOSIDADE: ATIVO CRÍTICO PARA O SUCESSO Em todos os setores, cargos e perfis, a curiosidade é vista como uma característica valiosa entre os gestores. No entanto, será necessário progredir neste âmbito, na maioria das empresas. Aprender a promover e aproveitar esta característica no local de trabalho tem o potencial de aumentar o desempenho geral das organizações, como mostra um estudo do SAS. As empresas que incluem a curiosidade na missão corporativa estão mais bem preparadas para estimular esses atributos e utilizá-los de forma eficaz. Denominado “Curiosity @ Work”, este trabalho foi desenvolvido no mercado nacional e revela que são os gestores mais jovens que mais valorizam a curiosidade: 70% da Geração Z/Millennials vs. 60% da Geração X e Boomers. Formação (75%), avaliações de desempenho (76%), critérios de promoção (70%) e contratação (63%), missão corporativa, visão ou valores (72%), recompensar a curiosidade (83%), coaching ou mentoring (83%), apostar na formação ou educação (78%) têm sido apostas.• A curiosidade dos colaboradores é uma característica sobretudo valorizada pelos gestores das gerações mais jovens FUTURO SÓ COM TECNOLOGIAS IMERSIVAS A crescente utilização de tecnologias imersivas - como realidade aumentada e virtual – vai estimular as empresas dos setores de bens de consumo, retalho e viagens a aumentar o investimento em novos recursos, combinando os mundos físico e virtual. Quem não o fizer corre o risco de ser ultrapassado, alerta o Accenture Technology Vision 2022, sobre “Meet Me in the Metaverse: The Continuum of Technology and Experience Reshaping Business”. O estudo mostra que num universo de 11 mil consumidores em 16 países 64% já compraram um bem digital, ou participaram numa experiência ou serviço virtual em 2021. E os números devem aumentar, já que 83% demonstram interesse em fazer compras no metaverso. Cerca de 42% dos entrevistados afirmam ter visitado um retalhista no mundo virtual para obter aconselhamento, fazer um pagamento ou navegar por uma linha de produtos ao comprar um item físico, enquanto 56% planeia fazê-lo no próximo ano. Entre os millennials, os números aumentam para 51% e 61%, respetivamente. Para a Accenture, a era do metaverso já começou. Retalhistas e marcas terão de criar novas experiências para os consumidores, criando novas oportunidades de venda e fidelizando clientes através de experiências que vão além da simples compra de um produto.• CURIOSIDADE CÃO ROBOT ASSEGURA SEGURANÇA Pela primeira vez, foi integrado um cão robot num plano de segurança. Aconteceu com a Prosegur, responsável pela segurança do Rock in Rio Lisboa, que decorreu em junho. O objetivo foi ajudar a reforçar a segurança das cerca de 100 mil pessoas que estiveram diariamente no evento. Com o nome Yellow, o cão robot é dotado de inteligência artificial, permitindo comunicar qualquer situação de risco ao Centro de Controlo Prosegur (SOC) através de tecnologia 5G fornecida pela Vodafone. Tem capacidades em áreas como a análise de vídeo e incorpora sensores, que permitem ainda a recolha de dados, desde a temperatura (deteção de incêndios) até gases ou qualquer outro tipo de sensor.• Ilustração freepik

CURIOSIDADE AVATARES NO mETAVERSO A meta quer criar avatares mais realistas e está a desenvolver uma nova plataforma baseada em inteligência artificial para o conseguir. A dona do Facebook desenvolveu a myoSuite, uma plataforma que permite criar simulações musculoesqueléticas avançadas, que acredita serem a chave para dar um aspeto mais realista aos avatares do seu metaverso, depois de se aprender mais sobre os elementos que compõem o sistema musculoesquelético do corpo humano. A myoSuite permite criar simulações musculoesqueléticas avançadas que são 4 mil vezes mais rápidas do que a atual tecnologia.• INTEGRAR NEGÓCIO, TECNOLOGIA E SUSTENTABILIDADE A Ambição crescente das organizações nas metas ambientais, sociais e de governance (ESG) só poderá ser atingida através de estratégias alinhadas de sustentabilidade e tecnologia. Mas apenas 7% das organizações o fizeram, como conclui o relatório “Uniting Technology and Sustainability: How to Get Full Value From Your Sustainable Technology Strategy”, da Accenture. As 560 empresas inquiridas classificaram a tecnologia como importante para alcançar as suas metas mas vêem a falta de soluções e standards (40%), complexidade (33%) e falta de consciência das consequências não intencionais da tecnologia (20%) como barreiras. Esta divergência entre intenção e ação leva as empresas a fazer trade-offs entre metas de negócios e sustentabilidade, que podem ser reduzidos ou eliminados com uma estratégia de tecnologia holística. Os Chief Information Officers (CIO) podem desempenhar um papel crítico no apoio aos esforços de transformação e devem ser considerados no processo de tomada de decisão, embora hoje só 49% dos CIO fazem parte da equipa de liderança que define metas de sustentabilidade.• Só 49% dos CIO inquiridos num estudo da Accenture fazem parte da equipa de liderança que define as metas de sustentabilidade TENDÊNCIAS DE TECNOLOGIA DO 2° SEMESTRE Aumento da procura de chips; manutenção da crise na oferta; implantação do wifi-6 a superar os dispositivos 5G; grande interesse nos wareables da saúde; muita agitação no streaming – estas são algumas das “Previsões em Tecnologia, Média e Telecomunicação - TMT Predictions” apontadas pela Deloitte como tendências para o segundo semestre do ano. Se a procura de chips continua a crescer, vão manter-se os atrasos nas entregas, embora a situação seja menos grave do que em 2021, pois não afetará todas as classes de semicondutores. A escassez resultará apenas do aumento da procura, com os processos de transformação digital acelerados pela pandemia. Estima-se que as empresas de capital de risco investirão mais de 6 mil milhões de dólares em startups de semicondutores em 2022. Serão lançados mais dispositivos wi-fi 6 que dispositivos 5G: 2,5 mil milhões de dispositivos wi-fi 6 e 1,5 mil milhões 5G. Haverá ainda uma grande discussão em torno da regulação da IA. E as tecnológicas deverão renovar o seu compromisso com a diversidade de género na tecnologia, à medida que a pandemia recua. Já as guerras em torno do streaming vão tornar-se globais, à medida que os principais players se vão expandindo. Antecipa-se que 320 milhões de dispositivos portáteis de saúde e bem-estar sejam produzidos em todo o mundo e os gastos com aplicações de saúde mental deverão chegar aos 500 milhões de dólares. As consolas de jogos vão registar receitas recorde da ordem dos 81 mil milhões de dólares.• ILUSTRAçãO veCtorJuiCe/Freepik 7

REVISTA COMUNICAÇÕES

UPDATE

© APDC. Todos os direitos reservados. Contactos - Tel: 213 129 670 | Email: geral@apdc.pt