Views
3 months ago

COMUNICAÇÕES 243 - Digitalizar é a sua password

  • Text
  • Portugal
  • Europa
  • Trabalho
  • Talento
  • Simplex
  • Dbc2022
  • Congresso
  • Mudanca
  • Governo
  • Campolargo
  • Cryptomoedas
  • Businesscases
  • Empresas
  • Economia
  • Futuro
  • Mercado
  • Tecnologia
  • Digital
  • Digitaltransformation
  • Digitalbusinesscommunity
À CONVERSA - Mário Campolargo acredita que o futuro se faz com passos SIMples; EM DESTAQUE - 31º Digital Business Congress: o balanço; NEGÓCIOS - Como se vai reposicionar o mercado depois do crash das criptomoedas?; MANAGEMENT – Não há revoluções sem dor; 5 PERGUNTAS a Andrés Ortolá, diretor-geral da Microsoft; I TECH - Ricardo Martinho, presidente da IBM; CIDADANIA - Um modelo de recrutamento muito à frente

A desintermediação

A desintermediação crescente no mundo foi tema de debate e está a criar uma nova forma de ver o capitalismo, na perspetiva de Paul Collier. Para o professor de Economia e Política Pública na Universidade de Oxford, o capitalismo está a perder a confiança popular e as desigualdades são aproveitadas pelos movimentos populistas. Considerando que nos últimos seis meses se assistiu a uma “tempestade perfeita de choques que ninguém antecipava”, diz que o líder da Ucrânia mostrou um “novo modelo de liderança ética”. A propósito, Paulo Portas acrescentou que “o capitalismo é o único modelo económico capaz de trazer progresso constante à humanidade. Não o devemos abolir, nem mesmo quando não sabemos o que lá colocar. O oposto é um desastre”. “why economics needs a moral dimension” foi o tema em debate e sir paul Collier diz que estamos a assistir a uma tempestade perfeita de choques 54 estAdo dA nAção 5g Na edição de 2022 do Congresso da APDC, o 5G e as comunicações foram temas sempre presentes, tendo-se reunido, pela primeira vez, todos os players da cadeia de valor do setor, com sessões que envolveram desde os líderes de redes passivas, aos fornecedores e aos operadores, no já tradicional, mas sempre renovado, “Estado da Nação das Comunicações”. Quando a cobertura total do país com redes de alta velocidade é um objetivo político, o ministro das Infraestruturas e Habitação, Pedro Nuno Santos, anunciou a intenção do governo de lançar até final do ano o concurso para o investimento na cobertura das zonas brancas do país, onde ainda não existem redes, por não serem rentáveis. Tema em destaque, até porque está a condicionar a transição das empresas para o digital, foi o da estratégia para formar e captar mais talento TIC, nomeadamente com programas como o UPskill. Outro tema deba- Conjugar educação com requalificação e com captação de pessoas do exterior é o caminho para dar resposta à escassez de talento digital As parcerias surgem como a resposta para a coexistência entre media e plataformas digitais, com partilha de receitas e equilíbrio do negócio

Os líderes dos três grandes grupos de media nacionais voltaram a juntar-se e a destacar que há espaço para todos e que a tv continuará a ter grande relevância Pedro Nuno Santos diz que o governo conta com todos - operadores, regulador e autarquias - para lançar o concurso público para as zonas sem cobertura Os CEO da NOS, Vodafone e Altice reiteraram a importância de uma regulação estável, adequada e previsível, numa altura de grandes investimentos António Costa encerrou o Congresso da APDC destacando o esforço que terá que ser feito no 5G, face à “oportunidade extraordinária” de reposicionamento nas cadeias de valor tido foi o dos media e o papel do jornalismo na era digital. Seja qual for o meio de suporte, o jornalismo independente tem regras, princípios e objetivos – sublinhou-se. Mas o digital e as plataformas vieram mudar a relação de forças entre grupos de media e big tech, encurtar prazos, trazer maior exigência e, de alguma forma, diminuir o protagonismo da mediação jornalística. No encerramento, o Primeiro-Ministro, assegurou que “o Governo vai dar a maior atenção às conclusões deste congresso”, reafirmando que “a transição digital é um dos maiores desafios que temos pela frente e um dos quatro que o executivo identificou no seu programa”, a par das alterações climáticas, do inverno demográfico e do combate às desigualdades”. António Costa diz que esta é “uma oportunidade extraordinária de nos reposicionarmos nas cadeias de valor”, procurando melhorar a produtividade nas indústrias e entrar em áreas de maior valor acrescentado. Só assim teremos “uma economia mais competitiva, que permita criar mais emprego e crescimento sustentável”.• 55

REVISTA COMUNICAÇÕES

UPDATE

© APDC. Todos os direitos reservados. Contactos - Tel: 213 129 670 | Email: geral@apdc.pt