Views
1 week ago

COMUNICAÇÕES 243 - Digitalizar é a sua password

  • Text
  • Portugal
  • Europa
  • Trabalho
  • Talento
  • Simplex
  • Dbc2022
  • Congresso
  • Mudanca
  • Governo
  • Campolargo
  • Cryptomoedas
  • Businesscases
  • Empresas
  • Economia
  • Futuro
  • Mercado
  • Tecnologia
  • Digital
  • Digitaltransformation
  • Digitalbusinesscommunity
À CONVERSA - Mário Campolargo acredita que o futuro se faz com passos SIMples; EM DESTAQUE - 31º Digital Business Congress: o balanço; NEGÓCIOS - Como se vai reposicionar o mercado depois do crash das criptomoedas?; MANAGEMENT – Não há revoluções sem dor; 5 PERGUNTAS a Andrés Ortolá, diretor-geral da Microsoft; I TECH - Ricardo Martinho, presidente da IBM; CIDADANIA - Um modelo de recrutamento muito à frente

apdc news Para o

apdc news Para o governante, a ter “flexibilidade mental e expandir o conhecimento”, desde a base da educação até à qualificação de pessoas, é determinante para criar uma nova cultura. Mais do que meros utilizadores de tecnologia, todos deveremos ser “fazedores do futuro digital” 38 como nação digital, tem de refletir as empresas do digital, mas ir muito além delas. Algumas são core, como as TIC, porque são enablers e catalisadoras de alguma disrupção, mas há toda uma miríade de empresas que têm que saber beneficiar dessa capacidade e de evoluir”. Terá mesmo que existir “uma crença absoluta na capacidade do tecido empresarial”. Nesse caminho, “temos de encontrar capacidade humana e tecnológica para responder verdadeiramente ao desafio do mundo digital”. No talento, e apesar da forte concorrência internacional, o nosso país tem vantagens competitivas na atração de pessoas qualificadas “que têm provado ter tido sucesso”. Há, pois, que “continuar a trabalhar e contar com o apoio dos crescentes investimentos realizados no país”, até porque os novos projetos de cabos submarinos trazem uma “O 5G terá um papel essencial no futuro do país, acelerando todo o processo de digitalização, pelas suas características próprias e os efeitos de multiplicação” Mário Campolargo, Secretário de Estado da Digitalização e da Modernização Administrativa nova centralidade geográfica a Portugal. O que abre, claramente, relevantes oportunidades, através de novos investimentos em centros de competências, que criam à sua volta importantes ecossistemas”. Projetos de requalificação como o Programa UPskill são também peças- -chave para a geração de talento, sendo iniciativas inovadoras, já que vêm responder a necessidades concretas das empresas. “A capacidade de pensar é um desafio para todos. O que é cada vez mais importante é a flexibilidade mental e expandir o conhecimento”, desde a base da educação até à qualificação de pessoas, gerando “uma nova cultura”. Caso contrário, “será dramático: seremos meros utilizadores de tecnologia e não fazedores do futuro digital”.•

WebMorning - Os Dados na Administração Pública O novo ouro das organizações Depois das pessoas, os dados são o maior ativo das organizações. Mas o desafio é saber como extrair valor deles. Para lá chegar, é preciso implementar a mudança cultural e organizacional em muitas entidades da AP, seja ao nível central ou local. Texto de Isabel Travessa Já existem muitos exemplos de sucesso no Estado na utilização dos dados para criar valor. A Autoridade Tributária e Aduaneira (AT) é um deles e tem vindo a trabalhar a temática dos dados em diferentes perspetivas, todas assentes num princípio essencial: assegurar a qualidade dos dados nos seus diferentes vetores. O objetivo é “fomentar um círculo virtuoso, em que se devolve em serviços e em valor acrescentado aos cidadãos, na proporção da importância e do valor dos dados que esta entidade gere”, como começa por explicar Mário Campos - subdiretor-geral dos Sistemas de Informação da AT. No arranque deste WebMorning, realizado em parceria com o SAS, o gestor explica que foi definida, numa perspetiva interna, uma abordagem segmentada dos dados, tendo em conta as necessidades e características “de quem é o nosso alvo, para endereçar o que valorizam, com os processos e ferramentas necessários à sua concretização”. E “há perfis de utilizadores muito distintos”, adianta. Já do ponto de vista externo, a AT tem vindo a promover “uma maior ligação entre a intervenção e ação. O conhecimento que os dados nos trazem é efetivamente uma alavanca importante na otimização dos processos, para a sua simplificação e para ter serviços mais eficazes”. Tendo a AT um papel de relevância 39

REVISTA COMUNICAÇÕES

UPDATE

© APDC. Todos os direitos reservados. Contactos - Tel: 213 129 670 | Email: geral@apdc.pt