Views
6 months ago

COMUNICAÇÕES 240 - Fernando Alfaiate: o homem do PRR

  • Text
  • Sectores
  • Regiões
  • Desenvolvimento
  • Investigação
  • Prr
  • Pandemia
  • Programa
  • Tecnologia
  • Portugal
  • Digital
  • Empresas

apdc news WEBMORNING -

apdc news WEBMORNING - NOVOS MODELOS DE TRABALHO Soluções à medida Há cada vez mais organizações que optam por modelos de trabalho híbrido ou remoto. Se a tecnologia está disponível, a adoção de novas práticas tem que ser bem ponderada e preparada em termos de processos, lideranças, negócio e, sobretudo, de pessoas. Sempre em função de cada caso concreto. Texto de Isabel Travessa 54 https://youtu.be/Bso8IrokTxk O regresso ao trabalho presencial está a acelerar, alcançada que está a imunidade de grupo, com 85% dos portugueses vacinados contra a pandemia de Covid-19. Mas as empresas, depois das aprendizagens obtidas com o trabalho à distância nestes quase dois anos, estão na sua generalidade sensibilizadas para soluções híbridas ou de trabalho remoto. As respostas tecnológicas para acelerar e implementar estas novas formas de trabalho multiplicam-se. Mas há que parar para pensar, sobretudo nas pessoas, porque a ‘receita’ varia de organização para organização, como se concluiu no webmorning sobre ‘Novos Modelos de Trabalho’, que decorreu a 23 de setembro. O “Desafios da Gestão de Pessoas em Trabalho Remoto”, realizado em maio pela Universidade Europeia, confirma uma forte adesão às novas modalidades de trabalho remoto, entendido como “qualquer tipo de regime de trabalho em que os trabalhadores trabalham à distância, fora das instalações do empregador ou de um local fixo, com recurso a tecnologias digitais”. Isabel Moço, coordenadora e professora assistente daquela universidade, explica que se fez um comparativo com outro trabalho que decorreu em abril de 2020 e mostra “um elevado nível de satisfação pela experiência”. Mas revela que há vários desafios a endereçar. A começar pelo aumento da perceção de que o trabalho remoto contribui para elevados níveis de cansaço e aumen-

ta os níveis de stress, numa relação muito direta com o número de horas despendidas por quem está em casa, com uma associação direta aos cargos e à idade do colaborador. Os entrevistados têm a perceção de que são mais produtivos, apesar de se sentirem mais afastados da empresa, e dizem ter maior qualidade de vida. Em sentido inverso, sentem-se menos apoiadas e afirmam que as relações interpessoais e de trabalho estão a ser prejudicadas, assim como as fronteiras entre a esfera da vida pessoal e profissional. Daí a “clara preferência pela opção dos modelos híbridos”, explica. “Este é o momento de repensar os modelos de trabalho. Há muitas entidades que estão a precipitar a transição, sem assegurar devidamente as condições. Não só em termos tecnológicos, de processos e de organização, mas também ao nível do bem-estar e da saúde das pessoas”, adverte. Destaque ainda para temas como tempos de trabalho, direito a desligar e despesas, num processo que tem sempre, na sua ótica, que ser negociado e acordado. Claudia Pereira, business unit manager da Axians Portugal, reforça que é necessário refletir sobre as aprendizagens. Todos os estudos mostram que o mundo do trabalho será definitivamente diferente daqui para a frente e a “tecnologia estará cada vez mais presente, de forma a proporcionar uma melhor experiência dos trabalhadores. No futuro, é expectável que, cada vez mais, a colaboração aconteça entre pessoas que estão no escritório e outras que estão remotamente a trabalhar de Estudo indica que trabalho remoto se traduz em elevados níveis de satisfação, mas contribui para o aumento de stress outro local”, acrescenta, pelo que é preciso que estes tenham a mesma experiência e estejam envolvidos e comprometidos com a organização, numa verdadeira colaboração inclusiva. A Axians, em parceria com a Cisco, endereça estes desafios de forma integrada. Jose Arada, business development manager da empresa, adianta que ambos os grupos têm uma “visão sobre o regresso ao escritório e sobre o modelo de trabalho híbrido que acreditamos seja o futuro”. Uma visão que proporciona soluções para uma melhor experiência de quem está a trabalhar remotamente e para um regresso seguro ao escritório, assegurando eficiência no trabalho, privacidade, compliance e gestão transversal das soluções. Esta “experiência de colaboração inclusiva” que foi detalhada e demonstrada por Craig Tranter, systems engineer manager for CXCs in EMEAR & APJC da Cisco, numa demo sobre a experiência de um ambiente de trabalho moderno, recorrendo às ferramentas e soluções tecnológicas.• Isabel Moço, Coordenadora e professora assistente, Universidade Europeia Claudia Pereira, Business unit manager - Modern Work & Collaboration, Axians Portugal Jose Arada, Business development manager - Modern Work & Collaboration, Axians Craig Tranter, Systems engineer manager for CXCs in EMEAR & APJC, Cisco Moderação - Sandra Fazenda Almeida, Diretora executiva, APDC 55

REVISTA COMUNICAÇÕES

UPDATE

© APDC. Todos os direitos reservados. Contactos - Tel: 213 129 670 | Email: geral@apdc.pt