COMUNICAÇÕES 238 - MULHERES E TECNOLOGIA O NAMORO QUE ACABARÁ EM CASAMENTO (2021)

  • Apdc
  • Pandemia
  • Infraestruturas
  • Mulheres
  • Tecnologia
  • Digital
  • Empresas
  • Portugal

apdc news WEBMORNING –

apdc news WEBMORNING – ESTADO DO ECOSSISTEMA DE REALIDADE VIRTUAL E AUMENTADA EM PORTUGAL Um mundo de experiências Portugal tem enorme potencial no desenvolvimento de ofertas assentes nas tecnologias imersivas. A chegada do 5G promete mesmo uma nova era neste campo. Texto de Isabel Travessa 56 https://bit.ly/3enh2UZ O ECOSSISTEMA de realidade virtual e aumentada já existe no mercado nacional e está em crescimento acentuado, prometendo desenvolver ofertas inovadoras e experiências verdadeiramente transformadoras. Neste WebMorning APDC, que decorreu a 11 de fevereiro, debateram- -se as oportunidades e os desafios de um ecossistema que no mercado nacional tinha em 2019 cerca de 64 organizações. As contas são da VR/AR Association Portugal, organização que surgiu em 2017 com o objetivo de desenvolver dinâmicas e ações para criar um ecossistema de tecnologias imersivas no país, e que em 2020 passou a integrar a APDC, através da criação da Secção VR/AR. Luís Martins, presidente da secção e diretor de Marketing do grupo IT People, não tem dúvidas de que existe um número crescente de empresas a serem criadas nesta área, cada vez mais focadas em segmentos específicos, como o turismo, saúde ou indústria. O gestor antecipa que este seja um ano muito importante, com a chegada do 5G e a multiplicação dos devices de realidade virtual e aumentada. Trata-se de “um novo mundo, fascinante, que está a crescer depressa” e onde “Portugal pode ser um player importante”. Essencial para a captação de novos projetos internacionais é a forte pool de talento nacional, a par de outros benefícios que o país proporciona, como a qualidade de vida, muitas vezes considerada um fringe benefit. A existência de um ecossistema de inovação e de múltiplas startups nesta área é outro fator de atração.

Isto permite antever que Portugal possa ser “uma porta de entrada das empresas de outras geografias que queiram estar na Europa. Além de ser um ótimo país para teste de novas ideias”. A chegada do 5G contribuirá para o reforço da atratividade. Pedro Machado, head of B2B New Business da NOS, não tem dúvidas de que a nova geração móvel estará na base de uma profunda transformação, tornando-se a realidade virtual e aumentada “importante e inevitável”. Garante que a “indústria está consciente do valor e da importância das tecnologias imersivas e a preparar-se para realizar grandes investimentos nesta área”. Já Pedro Coelho, area category manager da HP, destaca a importância dos novos headsets, que vão abrir espaço para experiências transformadoras em áreas como a educação, design ou gaming. Esta é uma grande área de aposta da HP, que está a desenvolver dispositivos para o ecossistema de realidade virtual e aumentada. “A próxima onda de engagement passa pelo pessoal e humano, mesmo quando é dinamizado pela tecnologia”, garante. Um dos projetos que acaba de se instalar no mercado nacional é a Satore Studio, empresa criada há cerca de dez anos para o design, experiências e entretenimento. Tupac Martir, fundador e diretor criativo, diz que a pool de talento português foi decisiva para o investimento, tal como a existência de um ecossistema de tecnologias imersivas muito atrativo.• A realidade virtual e aumentada está em crescimento acentuado em Portugal e promete novidades em breve Sandra Almeida, APDC Luís Martins, head of Marketing da IT People Group Pedro Machado, head of B2B New Business da NOS Pedro Coelho, area category manager da HP Tupac Martir, creative director da Satore Studio 57

REVISTA COMUNICAÇÕES

UPDATE

© APDC. Todos os direitos reservados. Contactos - Tel: 213 129 670 | Email: geral@apdc.pt