COMUNICAÇÕES 238 - MULHERES E TECNOLOGIA O NAMORO QUE ACABARÁ EM CASAMENTO (2021)

  • Apdc
  • Pandemia
  • Infraestruturas
  • Mulheres
  • Tecnologia
  • Digital
  • Empresas
  • Portugal

itech 36 HELENA FÉRIA

itech 36 HELENA FÉRIA Tudo o que a tecnologia lhe dá Poupa tempo, aumenta a produtividade, encurta distâncias, apoia amizades, estimula a inteligência, antecipa o futuro. Tudo isto Helena Féria reconhece na tecnologia digital. Uma parceira para a vida, que já lhe proporcionou momentos inesquecíveis. Texto de Teresa Ribeiro | Fotos Vítor Gordo/ Syncview Há uma imagem que a diretora interina jurídica e de regulação da Vodafone Portugal nunca há-de esquecer: a da sua neta mais velha, ainda bebé, a interagir com o telemóvel e o iPad. “Tinha cerca de um ano, mal andava e, no entanto, já sabia qual era o botão onde podia carregar para o telemóvel ganhar vida. Com o iPad também não se atrapalhava. Deslizava o dedo no ecrã para fazer as imagens mexerem”, conta, sem disfarçar o espanto que lhe desperta esta facilidade das crianças em apreender tudo o que é novo. Longe de ser uma nativa como a neta, Helena Féria despertou para a tecnologia já adulta. Mas quando aconteceu, o impacto foi total: “Não venho das engenharias, sou economista, mas quando comecei à procura do meu primeiro emprego a entrevista que tive nos TLP (antiga PT, hoje Altice) fez a diferença”, recorda. Diz que depressa percebeu que naquela casa se respirava tecnologia de ponta e isso foi o bastante para sentir vontade de integrar esse pelotão da frente”. Entrou no tempo em que ainda se escrevia à máquina, por isso assistiu a todas as etapas da revolução tecnológica que ainda hoje está em curso: “Daí a um tempo passámos a ter computadores partilhados. Quase que tínhamos de tirar senha para lhes aceder”, comenta, risonha. Nessa época Helena Féria trabalhava na área de planeamento e uma das suas funções era analisar e comentar indicadores de gestão. Depressa surgiu na equipa a ideia de usar o computador para tratar esses dados. Dito e feito: “Atrevemo-nos e conseguimos, com o apoio da direção de informática”, refere, ainda a saborear o orgulho que sentiu por não se intimidar com aqueles monstros que ocupavam toda a secretária. Daí ao salto para o computador pessoal foi um passo de gigante: “Esse monstro que partilhávamos já nos dava enorme liberdade, mas a autonomia que representou ter um PC para cada um de nós foi…”. Hesita entre os qualificativos, mas qualquer um dos que lhe passam pela cabeça descrevem um sentimento desmedido. Porque Helena Féria é uma entusiasta e não disfarça: “A forma como já conseguíamos passar o nosso trabalho para a administração era…”, e continua a desfazer-se em elogios. Esta paixão não é platónica. Tem agregada razões concretas, como a economia de tempo e aumento de produtividade. O fascínio pela tecnologia digital vem desta facilidade que sentiu, não só no âmbito profissional, mas também na vida pessoal. Quando a sua filha mais velha viveu fora do país com a neta, foi-lhe possível jantar com elas online. Agora, com a pandemia, sente mais do que nunca a importância de saber, através das redes sociais, como estão os amigos: “A tecnologia digital dá-nos tempo – para refletir, para partilhar, para viver melhor”, resume. Um dia, um dos seus sobrinhos, de 11 anos, disse-lhe: “Ó tia, a tia é muito techie”. Essa saída, que a divertiu muito, é também um importante atestado de competência. Passado com a espontaneidade e inocência de um nativo que está habituado a ver nos mais velhos um fosso considerável no que ao conhecimento e à-vontade com a tecnologia digital diz respeito. A diretora interina jurídica e de regulação da Vodafone Portugal revê-se nesta espécie de certificado. Reconhece que as TIC também podem ser fonte de problemas, mas acredita que as vantagens que trazem à vida das pessoas superam largamente esses fatores menos positivos. De olhos postos no futuro, já se imagina a ver os netos, quem sabe a viver fora do país, a interagir com ela através de hologramas ou recursos que hoje ainda nem imaginamos. Fala do 5G de olhos brilhantes: “Sonho com o dia em que não vou ter de me preocupar em fazer a lista das compras pois há-de chegar o tempo em que o meu frigorífico vai poupar-me a esse trabalho”. O futuro para Helena Féria só pode ser uma coisa fascinante. •

Tem dois telemóveis: um pessoal, o iPhone 6 Plus, e o da empresa, o iPhone xs. Destes devices espera que respondam às suas necessidades. Se está satisfeita, não corre atrás dos últimos modelos O seu portátil é um Mac Pro. Em casa também tem um modelo da Apple, que usa muito para editar fotos. A fotografia é um dos seus hobbies 37

REVISTA COMUNICAÇÕES

UPDATE

© APDC. Todos os direitos reservados. Contactos - Tel: 213 129 670 | Email: geral@apdc.pt