COMUNICAÇÕES 238 - MULHERES E TECNOLOGIA O NAMORO QUE ACABARÁ EM CASAMENTO (2021)

  • Apdc
  • Pandemia
  • Infraestruturas
  • Mulheres
  • Tecnologia
  • Digital
  • Empresas
  • Portugal

5 perguntas VANDA DE

5 perguntas VANDA DE JESUS Combinar serviço público com inovação Está entusiasmada com a oportunidade de usar tudo o que aprendeu para fazer a diferença. Na Estrutura de Missão Portugal Digital ambiciona de levar a bom porto todas as iniciativas do Plano de Ação, envolvendo o maior número possível de pessoas e serviços. Texto de Isabel Travessa Fotos cedidas 31% do valor total que chegará a Portugal. Isto faz com que possamos contar com cerca de 4,35 mil milhões de euros, dos quais 2,65 mil milhões serão investidos em projetos na área da transição digital - como a Escola Digital, empresas 4.0 e digitalização da AP. O PRR permitirá acelerar e fortalecer, de forma mais intensa e célere, parte das medidas já definidas pelo Plano de Ação para a Transição Digital. Estes investimentos têm a capacidade de preparar e melhorar todo o processo de digitalização nas mais variadas áreas. 10 Passar de uma multinacional de IT para a liderança da Estrutura da Missão Portugal Digital, em plena pandemia, é um desafio? Sem dúvida que o contexto em que vivemos traz desafios acrescidos a uma mudança que, por si só, já seria impactante. Mas tem sido uma honra e um privilégio fazer parte deste projeto e conseguir servir o país. Fazê-lo numa estrutura de missão que atua na minha área, a tecnologia e o digital, só o reforça. Tem um gosto muito especial poder combinar serviço público com disrupção e inovação, sabendo que estamos a contribuir para um avanço efetivo da inclusão digital em todo o país. Olhando para o seu percurso entre os setores público e privado, associações e empresas, o que é que a enriqueceu mais, em termos pessoais e profissionais? Todos esses projetos me ajudaram a pôr em prática as minhas maiores forças. Talvez por isso seja uma defensora acérrima de que, se incentivarmos o que de melhor há em cada uma das pessoas com quem trabalhamos, elas darão sempre mais. Todas as experiências me proporcionaram aprendizagens essenciais para o meu futuro, tanto profissional, como pessoal. Acima de tudo, identifico um denominador comum que foi crítico: tive lideranças que me inspiraram e motivaram. Rapidamente percebi que não há sucesso sem uso exponencial da inteligência emocional e do bom- -senso. Quando aceitei o desafio na Estrutura de Missão Portugal Digital, a minha maior motivação foi exatamente a liderança que ia ter. O convite partiu do Secretário de Estado para a Transição Digital, André de Aragão Azevedo, que reconheço como uma pessoa única e em quem deposito a minha total confiança. Quais as suas ambições, enquanto diretora executiva deste projeto? É a de que todas as vertentes do Plano de Ação para a Transição Digital sejam levadas a bom porto e que as suas iniciativas envolvam o maior número de pessoas e serviços possível. O plano foi pensado com esta premissa. Que medidas propostas no PRR considera com maior potencial para acelerar a transição digital? Por opção política nacional e ultrapassando até a meta europeia, o Plano de Recuperação e Resiliência tem previsto para a digitalização Ter conetividade de qualidade que chegue a 100% do país é essencial. Como pensam ultrapassar os constrangimentos atuais, seja no 5G, nas redes fixas e nas móveis? É fundamental termos capacidade de acesso à internet na maior parte do território, permitindo a utilização generalizada e promovendo a inclusão digital. Por isso mesmo, temos uma medida prioritária dedicada à Tarifa Social de Acesso a Serviços de Internet, que olha com especial atenção para as camadas mais desfavorecidas da população e em maior risco de iliteracia digital. A previsão é que, a 1 de julho, a tarifa esteja disponível, para que as famílias que mais precisam possam usufruir de um desconto no acesso à internet. Está ainda a ser preparado um diagnóstico da rede fixa e móvel no país, para que possamos intervir de forma mais estruturada. Destaco ainda o cabo de fibra Ellalink, que cria uma rota direta entre a Europa e América Latina e que permitirá criar a ligação entre diferentes data centers estratégicos. Oferecerá conectividade segura de alta capacidade, otimização na troca de dados e respostas mais efetivas às necessidades dos mercados e à colaboração científica entre os dois continentes.•

Sendo “fundamental termos capacidade de acesso à internet na maior parte do território”, a diretora executiva da Portugal Digital diz que está “a ser preparado um diagnóstico da rede fixa e móvel do país” 11

REVISTA COMUNICAÇÕES

UPDATE

© APDC. Todos os direitos reservados. Contactos - Tel: 213 129 670 | Email: geral@apdc.pt