Views
1 year ago

COMUNICAÇÕES 225 - O Líder Mobilizador (2017)

  • Text
  • Redes
  • Projetos
  • Tecnologia
  • Forma
  • Ainda
  • Digitais
  • Portugal
  • Empresas
  • Apdc
  • Digital
APDC 225 - O Líder Mobilizador Dezembro 2017

a abrir tic & Media

a abrir tic & Media Portugueses preferem lojas físicas para comprar A internet e as redes sociais são cada vez mais utilizadas para procurar ideias, obter conselhos e comparar preços. Mas as lojas físicas continuam a ser o local preferido para comprar em Portugal, que se mantém como um dos países europeus mais conservadores na utilização do ecomm. A conclusão é do Estudo de Natal 2017, da Deloitte, que revela que quase nove em cada 10 portugueses continua a preferir fazer as suas compras em lojas físicas, embora o digital assuma um papel cada vez mais relevante na jornada de compra. Sobretudo na busca de inspiração e pesquisa de produtos, com destaque para o lazer e eletrónica de consumo. Esta evolução é explicada pela crescente integração entre o físico e o digital nas ofertas retalhistas. A análise mostra ainda que o número de inquiridos que afirma nunca ter realizado compras online é cada vez menor, passando de 16% em 2016 para 11% este ano. Em toda a Europa, incluindo Portugal, a principal finalidade das redes sociais é a pesquisa de produtos, seguida da procura de ideias para presentes e da verificação de preços.• PC’s: 5 marcas dominam 75% do mercado mundial Há cinco grandes fabricantes que detêm uma fatia de três quartos do mercado mundial de PC’s tradicionais (desktops, notebooks e workstations). De acordo com os números da IDC para o 3º trimestre do ano, a liderança cabe à HP, com uma quota de quase 23%, impulsionada pelas vendas da Ásia/Pacífico. Num ano, ganhou 6% de quota. Segue-se a Lenovo, com 21,6% do mercado. A Dell, com 16,1% de quota, a Apple, com 7,3% e a Asus, com 6,2%, completam o ‘top five’. As pressões competitivas neste mercado, nos últimos anos em queda, explicam o domínio das cinco marcas. O Worldwide Quarterly Personal Computing Device Tracker da IDC mostra que as vendas mundiais de PC’s alcançaram 67,2 milhões de unidades no 3º trimestre, com uma perda marginal homóloga de 0,5%. O que reforça a tendência de estabilização já evidenciada nos trimestres mais recentes, graças ao aumento da procura nos mercados emergentes e às promoções.• Foto: Pexels Icone: Drishya from the Noun Project C

Reforçar densidade digital nacional Portugal pode aumentar em 3,2 mil milhões de euros o PIB, se adotar um conjunto de medidas associadas a uma maior maturidade digital, mostra o Índice de Densidade Digital da Accenture. Este estudo, baseado em indicadores de 33 países – como nível de competências digitais, utilização de métodos de trabalho digitais, investimento em novas tecnologias e políticas de estímulo ao desenvolvimento da economia digital – , coloca Portugal em 21º lugar, abaixo da média da UE. Estima-se que o digital represente menos de 20% do PIB nacional, quando a média dos países mais desenvolvidos é de 28%. Para que o país possa alcançar uma posição mais próxima dos líderes, este trabalho destaca a necessidade de duplicar o peso dos especialistas de tecnologia na força de trabalho, tendo em conta que as competências digitais dominam a lista das mais procuradas. Desenvolver ações para a capacitação digital, como adotar modelos de recrutamento flexíveis e fomentar a reconversão de perfis para o digital são algumas medidas sugeridas. Aumentar a proporção do investimento anual em analytics e soluções cloud, são outros vetores de atuação aconselhados.• Startups empregam 4,5 milhões de pessoas na Europa Mais de 825 mil startups integram um ecossistema empreendedor de 20 capitais europeias e empregam um total de 4,5 milhões de pessoas. No total, têm uma faturação de 426 mil milhões de euros e já receberam 36 mil milhões de financiamentos. Os dados são do mais recente estudo da Startup Europe, entidade que acompanha no espaço comunitário a evolução do empreendedorismo. Os dados do Startup Hubs, que não incluem Lisboa, mostram que só Londres tem mais de 325 mil empresas, sendo a campeã do investimento: recebeu perto de 13 mil milhões de euros. É mais do dobro do financiamento de Estocolmo, que ocupa a 2ª posição, 4,1 mil milhões de financiamentos e quase oito mil empresas. Segue-se Berlim, com 3,9 mil milhões de financiamentos e perto de 170 mil startups, e Paris, que contabiliza 3,74 mil milhões em investimento em mais de 21 mil projetos. Londres também lidera em número de empregados, quase dois milhões, seguida de Berlim (653 mil) e Roma (497 mil em 88 mil empresas).• CURIOSIDADEs “Despacito”: o mais visto de sempre no Youtube O vídeo “Despacito”, de Luis Fonsi com Daddy Yankee, bateu todos os recordes no YouTube: foi o primeiro na história a atingir 4 mil milhões de visualizações em apenas 273 dias. O marco foi alcançado a 22 de outubro, pelas 15h00, tendo registado mais 849 milhões de visualizações do que qualquer outro vídeo da plataforma. Com uma média de 14 milhões de visualizações/dia, atingiu em alguns dias 25 milhões de visualizações. É o mais visto do ano em mais de 45 países, incluindo México, Espanha, Itália, Alemanha, Portugal e Grécia. Amazon até já vende mini-casas Já é possível comprar na Amazon um contentor de 30 m2, mobilado e equipado. A ‘mini-casa’ é produzida pela MODS International e custa 36 mil dólares (30,5 mil euros), a que acrescem 4 mil dólares (3,3 mil euros) de portes. A fabricante defende que estas casas são amigas do ambiente, versáteis e ideais para quem gosta de uma vida simples. C

REVISTA COMUNICAÇÕES

UPDATE

© APDC. Todos os direitos reservados. Contactos - Tel: 213 129 670 | Email: geral@apdc.pt