COMUNICAÇÕES 224 - A Senhora Simplex (2017)

  • Apdc
  • Ainda
  • Dados
  • Clientes
  • Novas
  • Empresas
  • Tecnologia
  • Forma
  • Mercado
  • Portugal
  • Digital
APDC 224 - A Senhora Simplex Setembro 2017

estado da nação

estado da nação 2017 media – protagonistas 1 COMO estão os grupos a RESPONDER AO DESAFIO DA TRANSFORMAção DIgITAL, em termos de posicionamento global e de propostas para o mercado? 2 De que FORMA se PODERá tirar PARTIDO DAS NOVAS tendêNCIAS TECNOLógICAS para construir novas ofertas inovadoras? 3 PODERão ESTAR em MARCHA ALTERAções estruturais do SETOR, NOMEADAMENTE COM a CONSOLIDAção COM as telcos. Quais os impactos desta potencial mudança? Estamos sempre atentos às 2 evoluções tecnológicas e procuramos dotar-nos das tecnologias que melhor se adequam aos nossos objetivos estratégicos. É fundamental escolher os parceiros certos nesta área, bem como implementar políticas de RH que potenciem a atração e retenção de talento e estimulem o trabalho em rede e multidisciplinar. Só assim é possível criar e fomentar uma cultura de inovação, que deve ser não apenas proclamada, mas vivida por todos – a começar pela Administração. Sobre a operação que se encontra em curso em Portugal 3 entre um operador de telecom e um de media, remeto para a posição que a Impresa já manifestou publicamente: somos, e sempre fomos, a favor da concorrência leal num mercado que funcione de forma sã, bem como do pluralismo na comunicação social. Estamos confiantes de que os reguladores portugueses e europeus terão estes dois princípios em conta, quando se pronunciarem sobre a operação em causa. Ricardo Tomé, diretor, MC Digital De forma ponderada, corajosa 1 e como aprendemos a fazê-lo no mundo digital: experimentando e melhorando processos, equipas e produtos. Temos de ser mais ágeis, com um constante olhar aos dados e baseando-nos neles para orientar investimentos e polir conteúdos. A multidisciplinaridade é outro desafio, pois o domínio das ferramentas e técnicas de comunicação digitais obriga a ganhar novas competências. Nos modelos de negócio, passámos a ter uma oferta integrada, onde TV, rádio e digital se conjugam, para dar às marcas e ao público produtos mais fortes e melhores soluções. Esta oferta é crítica para anunciantes encontrarem soluções transversais nas várias plataformas. Olhamos para nós como um grupo de media e já não como empresa de TV e Rádio e Digital. Retirámos o “e”. Somos Conteúdos, o que, se parece simples, é um processo em curso e uma mudança que levará ainda algum tempo. Os hábitos de consumo diversificaram-se, obrigando a pen- 2 sar distribuição e criação e produção de conteúdos orientados à nova realidade. Uma história que contamos numa peça jornalística para o espaço de informação TV não pode migrar simplesmente para o website e menos ainda para as redes sociais. A comunicação nunca foi tão visual como hoje. Da mesma forma, a integração de marcas tem que ser pensada consoante cada meio. Mas a tecnologia permite que hoje muitos desses processos sejam agilizados. Outra tendência é o data, que nunca foi tão big. Precisamos de conseguir cruzá-la e extrair o máximo conhecimento para alcançar novos formatos, que agradem e surpreendam. Temos utilizado aplicações interativas, como nenhuma outra empresa de media. Só o tempo o dirá. As mudanças não se dão por factos iso- 3 lados. Qualquer movimento de um segmento, impacta e leva a respostas de outros e é nesse conjunto que se dá a transformação. Sabemos, e está a acontecer noutros mercados, que os conteúdos ampliaram o seu poder diferenciador e até o custo, em alguns casos. Hoje, passa a ser importante que o circuito de distribuição possa ser controlado e fechado no ecossistema das telco, para fazer face às ofertas que estão a crescer nos novos players. Nesta transformação, haverá, cada vez mais, grandiosas produções para internacionalização massificada e criações híper locais, adaptadas à cultura específica de um mercado ou país. Outro impacto previsível é a nova visão na publicidade: se até aqui era vista como fonte de receita dos media, agora

THE POWER OF KNOWLEDGE. THE POWER OF TECHNOLOGY. THE POWER OF YOU. Data is the new basis of competitive advantage—for industries, for companies and for you. But no human can read, see, feel, hear and make sense of all the data that is transforming their work and their profession. IBM Cloud, with Watson, can. It’s a wholly new platform for business, backed by IBMers and technologies that enable you to do your life’s work. This is you to the power of IBM. ibm.com/you IBM and its logo, ibm.com and Watson are trademarks of International Business Machines Corp., registered in many jurisdictions worldwide. See current list at ibm.com/trademark. Other product and service names might be trademarks of IBM or other companies. ©International Business Machines Corp. 2017. P32459

REVISTA COMUNICAÇÕES

UPDATE

© APDC. Todos os direitos reservados. Contactos - Tel: 213 129 670 | Email: geral@apdc.pt