Views
8 months ago

CIO: Agente da Mudança

WEBMORNING -

WEBMORNING - CIO: AGENTE DA MUDANÇA ‘Super-heróis’ das organizações Saber como usar a tecnologia para criar valor é o desafio de todas as empresas. Por isso, o papel dos CIO é vital, já que têm um conjunto de competências que se interligam e o poder de criar oportunidades de negócios e otimizar operações. PARA FAZER FACE AOS DESAFIOS de mercado, que obrigam a uma transição digital acelerada, num processo que se assume como uma verdadeira revolução, o papel dos Chief Information Officers (CIOs) é absolutamente crítico. De tal forma que são mesmo considerados os novos ‘super-heróis’ das organizações. Não se trata apenas de introduzir tecnologia, mas sim de ter um conhecimento transversal da organização para saber como usar as soluções tecnológicas para criar valor. O que implica terem de assumir um papel estratégico e contar não só com o apoio das lideranças, mas de toda a empresa. A mudança está em marcha, mas há ainda muito por fazer, como ficou claro neste WebMorning da APDC, em parceria com a Logicalis. O CIO Survey 2021, um inquérito global realizado pela Logicalis nos 28 países onde está presente, revela nesta 8ª edição que os CIO são verdadeiros agentes de mudança nas organizações. Não só podem desbloquear o potencial de dados para impulsionar a estratégia do negócio e acelerar o crescimento, como são os responsáveis por uma cultura de inovação e pelo local de trabalho digital. Nas suas prioridades estão ainda a continuidade do negócio, a resiliência e a mitigação do risco. Para Neuza Alcobio, Marketing & Communications Director da Logicalis, que apresentou as principais conclusões deste relatório sobre os desafios e oportunidades que os CIOs estão a enfrentar em todo o mundo, estes profissionais viram as suas responsabilidades fortemente reforçadas na sequência da pandemia, num conjunto de competências que se interligam. Tendo em conta a crescente exigência dos consumidores, que usam cada vez mais o digital, o estudo revela que existe uma pressão crescente para “construir uma relação com os clientes no mundo digital”. Cerca de 73% dos CIO afirmam que investiram nesta vertente e 80% garantem que o foco no consumidor nos próximos anos será ainda maior. Para a gestora, “há aqui uma oportunidade de modernização das infraestruturas, para potenciar as oportunidades de negócios no mundo digital e otimizar operações. A adoção de cloud pode acelerar estes objetivos”. Mas como é que as organizações podem des-

3 Todas as empresas são, cada vez mais, empresas tecnológicas. Mais do que introduzir tecnologia, têm de saber usá-la para criar valor. Para isso, o CIO é fundamental bloquear todo o potencial dos dados, que são o “liquid gold, o combustível para que todos os processos de mudança possam ser bem-sucedidos?”. O estudo revela que se a Covid-19 acelerou os planos de transformação digital, cerca de 70% das organizações admite ainda ter dificuldades nesta área. Como destaca Neuza Alcobio, para aproveitar todo o valor dos dados, “as empresas precisam de agilidade tecnológica, capacidade de ganhar escala e de processos mais robustos. Os sistemas baseados em cloud poderão desempenhar um papel essencial”. Mas, tendo muitas empresas falta de competências e de recursos internos, um dos caminhos tem passado pela externalização dos processos de negócio, acelerando dessa forma a migração para a cloud. O que significa maiores responsabilidades para os CIOs. CRIAR CULTURA DE INOVAÇÃO Outro dos desafios é criar uma cultura de inovação, que surge como uma vantagem competitiva. Que, segundo a responsável da Logicalis, “não é fácil de alcançar, se não estiverem alinhadas 3 vertentes: tecnológica, de cultura da empresa e pessoas”. Sem capacidade de inovar, há perda de competitividade, com a falta de adaptação ao ritmo e à exigência dos processos de mudança. O estudo mostra que as áreas de maiores dificuldades são as de aumento da efi-

REVISTA COMUNICAÇÕES

UPDATE

© APDC. Todos os direitos reservados. Contactos - Tel: 213 129 670 | Email: geral@apdc.pt