Views
1 year ago

A Economia Digital em Portugal 2018

  • Text
  • Permite
  • Resultados
  • Plataforma
  • Desafios
  • Economia
  • Portugal
  • Forma
  • Digital
  • Dados
  • Tecnologia

O processo foi

O processo foi amplificado com recurso a um atrativo sistema de reconhecimento e recompensas, incluindo lugares de parqueamento, formação em ecocondução e vouchers para estadias em eco-resorts O lançamento do carpooling, feito em articulação com os Recursos Humanos e após contacto com as ORT, foi suportado por uma ampla campanha interna de comunicação e envolvimento: notícias na revista da empresa, emails específicos regulares, posters trimestrais e um vídeo para a televisão interna. O processo foi amplificado com recurso a um atrativo sistema de reconhecimento e recompensas, incluindo lugares de parqueamento, formação em eco-condução e vouchers para estadias em eco-resorts. Resultados Em cerca de um ano, foram registadas mais de cinco mil tentativas de boleia, com uma taxa de êxito de 74%. No total, foram poupados mais de 35 mil kms de viagens em viatura particular. Em conjunto com outras iniciativas no âmbito da mobilidade suave e da cadeia de valor, contribuiu para uma acentuada quebra das emissões do scope 3 dos ctt, -26% desde 2015. Em 2017, a iniciativa foi finalista do Prémio Coups de Coeur Ambiente da PostEurop, uma organização afiliada das Nações Unidas para o setor postal europeu, com 52 membros. O projeto de carpooling dos ctt, uma iniciativa pioneira em Portugal, permite assim aos colaboradores do seu edifício-sede a possibilidade de optar por boleias partilhadas, uma modalidade low-carbon de mobilidade sustentável. Coordenação/Autoria: Luís Paulo, CTT Media Capital "Love on Top" Programa de TV desafiOS A TVI pretendia criar um formato de ‘dating’, temática bastante popular na generalidade dos países europeus e também tanto latino como norte-americano. Para tal, um pilar da sustentabilidade do formato seria uma app interativa. Mas como desligar o tema do recente fenómeno de apps de dating, como a Tinder? Como usar as mecânicas de engagement e gamification para prender quer os espectadores ao formato Tv, como à própria app, gerando retenção de audiência e fidelização à app?

TECNOLOGIA Para resolver este problema, a TVI e a Media Capital Digital, unidade dedicada a esta área, associaram-se à Vivasuperstars e criaram uma app de dating. Em vez de uma app interativa para visionamento do programa, ela seria o ‘telecomando’ por onde os espectadores poderiam decidir o que se passava na casa e que desafios seriam lançados aos concorrentes. Para terem esse privilégio de ‘mandar’ no programa e nos concorrentes, seria necessário desbloquearem desafios e badges bem como adquirir níveis de acesso, o que se revelou frutífero como fonte adicional de receitas. Para além disso, foi criada, dentro desta app, uma área de dating à semelhança das várias existentes no país. Mas para que tudo funcionasse foi necessário ampliar a lógica de gamification e de recompensas aos utilizadores. Estes foram divididos em vários níveis, desde os passivos até ao limit de heavy-users, dos espectadores aos atores no dating. Para cada perfil foram desenhados mecanismos de recompensa e de ‘chamadas’ à app, quer para acederem em exclusivo a conteúdo quer para promoções em valor monetário para desbloquear funcionalidades por menor preço. Em específico, dentro da dating-zone os utilizadores podiam desbloquear funcionalidades como “enviar presentes virtuais” ou “lançar convites personalizados” ou “chat especial”, entre muitos outros. RESULTADOS Para um programa de menor audiência do que formatos bem conhecidos como “Big Brother” ou “Secret Story”, a app obteve, no entanto, o mesmo número de utilizadores mas conseguiu gerar 3x maior número de interações. Foi, igualmente, a app que mais receitas diretas gerou, fornecendo por isso uma nova linha para além da publicidade, potenciando o modelo Freemium para um produto de media. Na Dating-Zone, registaram-se 75,000 utilizadores únicos e foram feitos perto de 1000 matches em mais de 1,2M de pedidos de ‘date’. Coordenação/Autoria: Ricardo Tomé, Media Capital Digital A app de dating da TVI seria o ‘telecomando’ por onde os espectadores poderiam decidir o que se passava no programa de televisão e que desafios seriam lançados aos concorrentes

REVISTA COMUNICAÇÕES

UPDATE

© APDC. Todos os direitos reservados. Contactos - Tel: 213 129 670 | Email: geral@apdc.pt