Views
1 year ago

A Economia Digital em Portugal 2018

  • Text
  • Permite
  • Resultados
  • Plataforma
  • Desafios
  • Economia
  • Portugal
  • Forma
  • Digital
  • Dados
  • Tecnologia

a economia

a economia em portugal 2018 digital 1.2 Blockchain | Crypto Currency 24 “Blockchain” PERMISSIONLESS, PUBLIC, SHARED SYSTEMS Um dos componentes tecnológicos mais relevantes que caracterizam a plataforma blockchain é o mecanismo de consenso, num acórdão entre todos os nós da rede TYPES OF DISTRIBUTED LEDGERS Distributed ledger Technology PERMISSIONED, PUBLIC, SHARED SYSTEMS Cross Stakeholder Decentralization PERMISSIONED, PRIVATE, SHARED SYSTEMS DATABASES Fonte: Imperial College London de de regular a utilização de moedas digitais mas com correspondência e garantia dada por uma moeda fiat (curso legal). Não sendo objetivo deste texto desenvolver a fundo o tema das moedas digitais, deixamos aqui uma ligação para um texto publicado pelo Fundo Monetário Internacional onde se explica a diferença entre moedas digitais e criptomoedas (https://www.imf.org/external/ pubs/ft/sdn/2016/sdn1603.pdf). Um dos componentes tecnológicos mais relevantes que caracterizam a plataforma blockchain é o mecanismo de consenso. Para cada bloco ser criado, é necessário ser primeiro validado pelos nós da rede. O processo de validação do bloco recorre aos nós da rede e é chamado de consenso. O consenso é, tal como o nome o define, um acórdão entre todos os nós da rede, de modo a ser tomada uma decisão final, como por exemplo uma transação. Existem muitos tipos de mecanismos de consenso para implementações de blockchain. Os mais usados, sobretudo em criptomoedas, são: Proof-of-work (prova de trabalho): Algoritmo que consiste em responder a um problema matemático apenas solucionável usando poder computacional de força bruta, mas cuja solução é facilmente validável por 51% da rede 1 ; Proof-of-stake (prova de participação): Algoritmo que consiste em escolher um validador para o bloco seguinte aleatoriamente, mas tendo em conta o número de moedas que cada nó possui. De forma semelhante ao que acontece na lotaria, quantos mais bilhetes (moedas) um utilizador comprar, maior a probabilidade que ele/ela tem de ganhar (validar o bloco) 2 ; Proof-of-authority (prova de autoridade): Algoritmo que consiste em aprovações de transações vindas de nós validadores. Estes nós são escolhidos a priori e não podem ser comprometidos. É semelhante a ter vários administradores de rede cujo trabalho é validar as transações 3 ; Proof-of-importance (prova de importância): Algoritmo semelhante a Proof-of-Stake, mas tendo em conta não só o número de moedas do nó mas também a sua atividade na rede, ou seja, o próximo validador do bloco é escolhido pela sua riqueza e pela sua importância na rede. A importância de um nó é definida por quanto ele transaciona e com quem ele transaciona 4 . Das diversas implementações de blockchain existentes destacam-se aquelas que são desenvolvidas e suportadas por alianças formadas entre empresas tecnológicas, universidades, bancos e empresas dos mais diversos setores de indústria. Exemplos são o projeto Hyperledger da Linux Foundation (http:// www.hyperledger.org), o projeto Corda do consórcio de bancos R3 (http://docs. corda.net) e o projeto Enterprise Ethereum, da aliança com o mesmo nome (https://entethalliance.org/). Desde a conceção inicial do conceito de blockchain associado às criptomoedas em 2009, passando pelo reconhecimento de diversas novas áreas de aplicação da tecnologia com o surgimento

25 em portugal 2018 1.2 Blockchain | Crypto Currency a economia digital do "Blockchain 2.0" em 2014, até ao momento em que vivemos hoje, repleto de notícias sobre diversas experimentações em curso em áreas como os serviços financeiros, seguros, segurança alimentar, identidade digital e registos de saúde, importa salientar um conjunto de evidências amplamente divulgadas nos meios noticiosos especializados: Blockchain não é uma ferramenta universal. De facto, importa afirmar que a tecnologia de forma isolada não é uma ferramenta aplicável a todo e qualquer caso de uso, nem deve ser considerada um substituto para tecnologias convencionais, antes servirá como um complemento às mesmas, e servirá para definir as fundações tecnológicas dos futuros sistemas económicos e sociais, bem como para redefinir os modelos de negócios. As DLT são mais eficazes em redes de negócio com diversos participantes. Embora existam vantagens em utilizar dlt’s dentro de uma organização, sobretudo quando esta possui uma organização distribuída, quer a nível departamental ou internacional, outras tecnologias mais convencionais e sobretudo mais maduras se prestam a este tipo de utilização, quando uma única organização é detentora da informação que se pretende gerir e partilhar. O Fórum Económico Mundial (World Economic Forum) tem vindo a desenvolver um conjunto de comunidades de estudo, das quais se destacam os Global Future Councils, redes interdisciplinares de partilha de conhecimento que visam promover o pensamento O blockchain potencia a simplificação de processos, reconhecendose esta tecnologia como componente fundamental para o futuro das indústrias, governos e sociedade em geral

REVISTA COMUNICAÇÕES

UPDATE

© APDC. Todos os direitos reservados. Contactos - Tel: 213 129 670 | Email: geral@apdc.pt