Views
1 year ago

A Economia Digital em Portugal 2018

  • Text
  • Permite
  • Resultados
  • Plataforma
  • Desafios
  • Economia
  • Portugal
  • Forma
  • Digital
  • Dados
  • Tecnologia

a economia digital 18

a economia digital 18 em portugal 2018 1.1 Big Data | Analytics da capacidade de interpretar bibliotecas Javascript para produção de grafismos avançados; Um layer de automação, que permitisse criar um motor de regras de tratamento dos eventos registados por sensores, com uma lógica de workflow com “if-then-else”, tempo máximo de execução de cada step (timeout) e default exit values. Resultados A plataforma está em constante evolução e integração dos múltiplos use cases identificados, dotando as equipas de uma inédita capacidade de antecipar/ evitar incidentes através de uma visão real-time do serviço do cliente, suportado por uma alarmística definida de acordo com os vários use cases. Os primeiros resultados proporcionaram a capacidade de identificar a qualidade de serviço das chamadas de voz de cada um dos clientes/terminais, em near real time (alguns dos indicadores associados a QoS de serviço de voz que tinham uma análise diária, passaram a ser acompanhados com uma frequência de cinco minutos) e a criação de um modelo preditivo que permita estimar a probabilidade de falha do serviço de televisão, baseado na correlação entre vários eventos dos sistemas que podem influenciar o serviço. Coordenação/Autoria: Amândio Sousa, NOS

19 a economia digital NOS Portal de Informação Turística Big data e data science na geração de insights e criação de indicadores inovadores sobre o turismo de estrangeiros em Portugal desafios O setor do turismo em Portugal tem vindo a contribuir de forma crescente e com cada vez mais relevância para a economia nacional. A NOS lançou um projeto – Portal de Informação Turística – onde se propôs utilizar os dados gerados na sua rede móvel, desenvolvendo modelos e analítica que possibilita transformar dados técnicos de rede em informação relevante para a obtenção e disponibilização de indicadores/insights reveladores de características e comportamentos dos turistas estrangeiros em Portugal e seus padrões de mobilidade geográfica. Tecnologia A utilização da rede móvel é geradora de grandes volumes de dados o que obriga à utilização de uma infraestrutura de big data capaz de endereçar as análises e modelos analíticos necessários. Para este projeto foram utilizados os mecanismos de aquisição e disponibilização de dados de rede e infraestruturas de big data da NOS. Utilizaram-se ferramentas Microsoft para rápida prototipagem, sobre um muito grande volume de dados, de algoritmos/modelos analíticos para a criação de indicadores sobre turistas estrangeiros em Portugal. A recolha e difusão dos dados de rede é feita recorrendo a tecnologias como Apache Kafka e disponibilizados de forma irreversivelmente anonimizados, expurgados de qualquer dado pessoal, nas workbench de trabalho da infraestrutura de big data; Para o processamento dos modelos recorreram-se a frameworks que suportam linguagens como o R, Python e SQL para soluções mais simples. Foram utilizadas frameworks como o Spark e MapReduce no contexto do Hadoop; Para o desenvolvimento do portal foi utilizado um framework Javascript/ Bootstrap para a estrutura do site e foram utilizadas bibliotecas específicas para produção de grafismos avançados, nomeadamente D3.js. ResultadoS A primeira fase do projeto culminou com o lançamento do Portal de Informação Turística (www.nos.pt/portalturismo), onde é possível encontrar, sobre cada município, informação sobre a forma de indicadores e rankings, relativa ao setor turístico, expondo características mensuráveis úteis para uma maior compreensão e avaliação de impacto e contribuir para estratégias de abordagem do fenómeno ao nível municipal. O Portal de Informação Turística disponibiliza indicadores de presença turística, de diversidade, de impacto do turismo no município, decorrentes de dados analisados e agregados sobre o comportamento dos turistas a nível nacional e a nível municipal para um dado período de tempo. Estes indicadores estão acessíveis publicamente em open data, são informação não disponível no passado e apresentados de forma simples e intuitiva decorrente de desenvolvimento de grafismo próprio. A infraestrutura, framework e modelos/ analítica criada permite o lançamento de projetos de análise específica com clientes – municípios e outros agentes do setor do turismo – e variedade de use cases – e.g. eventos, transportes, espaços comerciais, mobilidade de pessoas e segurança. Coordenação/Autoria: Amândio Sousa, NOS A utilização da rede móvel é geradora de grandes volumes de dados o que obriga à utilização de uma infraestrutura de big data capaz de endereçar as análises e modelos analíticos necessários em portugal 2018 1.1 Big Data | Analytics

REVISTA COMUNICAÇÕES

UPDATE

© APDC. Todos os direitos reservados. Contactos - Tel: 213 129 670 | Email: geral@apdc.pt