Views
1 year ago

A Economia Digital em Portugal 2018

  • Text
  • Permite
  • Resultados
  • Plataforma
  • Desafios
  • Economia
  • Portugal
  • Forma
  • Digital
  • Dados
  • Tecnologia

a economia

a economia em portugal 2018 digital 5. A Tecnologia na Transformação das Qualificações 162 As soluções tecnológicas permitem acelerar o processo de screening de CV’s, identificando os que têm mais correspondência com o pretendido educacional e as experiências profissionais de uma pessoa, como forma de demonstrar as suas competências. O começo da sua utilização não tem data definida no tempo e é hoje ainda um instrumento utilizado com o objetivo não apenas de registar um percurso mas também de candidatura. desafios Em 1998, a Comissão Europeia e o Cedefop organizaram o "Fórum Europeu para a Transparência das Qualificações" que levaria à criação do modelo Europass de currículo, hoje sobejamente conhecido mas que não é obrigatório e muito menos consensual. Em 2002, o surgimento do LinkedIn, uma rede social focada na componente empresarial, veio transformar os CVs, ao criar uma estrutura que vai sendo adaptada ao longo do tempo e que está visível e contactável para terceiros (com modelos comerciais associados). Mas não é esta base de dados acessível a todos que dá a vantagem competitiva às empresas, até porque está acessível a todos e muitas vezes revela-se insuficiente para se compreender verdadeiramente o potencial do candidato. tecnologia Os CVs são hoje palavras chave – keywords – porque o recrutamento e seleção é cada vez mais feito através de tecnologia de processamento de linguagem natural (NLP) associado a big data. Identificar quais as competências críticas para cada perfil e reconhecer numa base de dados de mais de 700 mil candidatos o match com essas palavras chave. Estas soluções tecnológicas permitem acelerar o processo de screening de CV’s, identificando os que têm mais correspondência com o pretendido. Na fase de validação, soluções de gamification, em que os resultados são comparados com top performers, e entrevistas feitas através de um software não é tecnologia do amanhã. Hoje, em Portugal, já fazem parte do processo da Randstad e contribuem para a experiência dos candidatos. RESULTADOS Mas se o CV pode hoje ser um perfil de LinkedIn, na verdade todas as soluções que estão disponíveis servem para acelerar o momento crítico do recrutamento e seleção, o momento em que duas pessoas falam pela primeira vez (seja presencial ou online). A inteligência emocional, o espontâneo e imprevisível, a capacidade de surpreender e de mostrar ainda mais é de pessoa para pessoa. A experiência de ser humano e de ser consultor não é ainda substituível por qualquer tecnologia, pelo contrário, a tecnologia permite é que os processos de recrutamento e seleção estejam verdadeiramente focados neste momento, onde acresce valor e que são decisivos na identificação de talento. Coordenação/Autoria: Inês Veloso, Randstad Randstad Employer Brand: estratégia para atrair e reter talento Captação e retenção de talento A tecnologia tem um papel fundamental no processo de decisão de captação e retenção de talento, não apenas na análise dos dados demográficos, de emprego e de formação, mas também na perspetiva das empresas. desafios Conhecer cada uma das marcas e compreender de que forma elas são percepcionadas e vividas pelos colabo-

163 a economia digital radores enquanto entidade empregadora é fundamental. tecnologia Soluções de HR analytics que relacionem estudos de satisfação em real time, surveys a colaboradores, análises de turn-over são dados críticos para essa análise. Em paralelo, acompanhar as referências, não apenas nas redes sociais onde também há muita informação ligada ao produto/serviço, mas em especial o que é registado em sites como o Glassdoor e o Indeed que publicam o feedback de candidatos e de trabalhadores sobre a sua experiência com e em determinada empresa. Este conceito de TripAdvisor aplicado ao emprego é cada vez mais utilizado pelos candidatos e valorizado por motores de busca como o Google em termos de algoritmo para ordenar as vagas por empresa. O Google for Jobs lançado já em várias partes do mundo chega este ano também a Portugal e a valorização do algoritmo vai transformar a forma como se escrevem os anúncios, sempre na procura constante da relevância. resultados É crítico conhecer o que quem não trabalha na empresa pensa sobre a mesma enquanto entidade empregadora e, ao mesmo tempo, compreender o que move as pessoas nas suas decisões de carreira e quais os níveis de confiança para uma mudança. Estes são dados que a Randstad apresenta a nível nacional no estudo feito pelo grupo TNS Employer Brand Research. Nos resultados de 2018, perante uma decisão de emprego, 53% dos inquiridos destacaram como fator primordial o equilíbrio entre a vida pessoal profissional, seguida pela estabilidade de carreira (52%), que até aqui era apontado como fator mais relevante pelos inquiridos. Outra evolução a destacar diz respeito à valorização do critério progressão de carreira (51%) face ao ambiente de trabalho (49%), que era um dos fatores em evidência em 2017. O salário e benefícios continuam a ser o critério mais importante numa decisão de emprego (66%) mas, de acordo com a Randstad, este é um fator “higiénico” na relação laboral e não um elemento diferenciador na proposta de valor do empregador (EVP – employer value proposition). A tecnologia tem a capacidade de recolher e de integrar estes dados externos e internos e é parte crítica na decisão de captação e atração de talento, representando por isso um papel principal nas qualificações. Coordenação/Autoria: Inês Veloso, Randstad O Google for Jobs lançado já em várias partes do mundo chega este ano também a Portugal. A valorização do algoritmo vai transformar a forma como se escrevem os anúncios em portugal 2018 5. A Tecnologia na Transformação das Qualificações

REVISTA COMUNICAÇÕES

UPDATE

© APDC. Todos os direitos reservados. Contactos - Tel: 213 129 670 | Email: geral@apdc.pt