Views
1 year ago

A Economia Digital em Portugal 2018

  • Text
  • Permite
  • Resultados
  • Plataforma
  • Desafios
  • Economia
  • Portugal
  • Forma
  • Digital
  • Dados
  • Tecnologia

a economia

a economia em portugal 2018 digital 3. A Tecnologia na Transformação das Cidades e Territórios 142 Com foco na experiência do utilizador, a app ePark veio facilitar e flexibilizar as soluções de pagamento do estacionamento em Lisboa e flexibilizar soluções de pagamento, tendo o desenvolvimento de uma app surgido como a ferramenta natural. Desenvolveu-se a app ePark em iOS, Android e Windows apostando-se numa solução mobile only que reúne todas as funcionalidades e informações que o utilizador necessita na própria app. O registo do utilizador é intuitivo e permite ativação imediata da conta de utilizador. Para que a utilização possa ser imediata, disponibiliza soluções de carregamento imediato de saldo, como o PayPal, que desde início permite o carregamento da conta em "dois clicks" após a simples associação de contas ePark e PayPal do utilizador; e também com uma plataforma de carregamentos com MB e cartão de crédito. Com o carregamento, o saldo é atualizado automaticamente e é emitida uma fatura que fica na app e pode ser enviada para o email. Assim, para um novo utilizador, todo o processo desde o seu registo inicial até ao pagamento do estacionamento pode-se realizar em poucos minutos no local onde se vai estacionar. A app é baseada num mapa interativo suportado por geo-referenciação que é intuitivo e ajuda o utilizador a indicar o local onde estacionou. Com o apoio de uma caixa de pesquisa, permite a indicação de outra morada, prevendo o caso em que o condutor não está junto ao veículo. Ao confirmar o local e tempo desejado, a app ePark indica o valor a pagar e após iniciar o estacionamento permite prolongá-lo ou terminá-lo a qualquer momento, devolvendo o valor do tempo não utilizado. Assim, a consulta que se prolonga ou a reunião que acabou antes do previsto já não são um problema. Para sustentar esta inovação, realizouse uma profunda revisão de todo o sistema informático da empresa e desenvolveu-se o programa Opera que gere a área operacional e, entre outras funções, alimenta a app onde os agentes de fiscalização verificam o pagamento do estacionamento e registam infrações. De forma natural, a base da app ePark evoluiu e passou a suportar novos produtos, como acontece com a app GIRA, que utiliza a mesma conta de utilizador que a app ePark. ResultadoS Com a aposta na melhoria da experiência de utilizador, os comentários positivos recebidos são o melhor indicador do sucesso da app. Como principais argumentos, é usual o destaque da comodidade do pagamento em qualquer momento, e a poupança associada à possibilidade de terminar o estacionamento sem mais custos. Associado à melhoria da experiência individual e da perceção positiva, destacam-se dois indicadores relevantes: Mais de 285.000 utilizadores até maio de 2018; Média de receitas do ePark face a parquímetros próxima dos 30%, ultrapassando os 40% em algumas áreas de Lisboa. O ePark, criou uma nova experiência de pagamento do estacionamento na via pública em Lisboa e foi o marco que começou a mudar a relação com o utilizador. Pela transformação que introduziu e pelo exemplo de inovação e simplicidade, o ePark tem sido reconhecido como uma solução de excelência. Entre outros, recebeu prémios nas categorias de app e mobile no Prémio Navegantes da ACEPI, melhor app dos Prémios Sapo e dos Digital Awards da IDC e, mais recentemente, foi destacado pela PayPal pela experiência de utilização e simplicidade de carregamento em segundos. Coordenação/Autoria: Miguel Fernandes, Paypal e Diogo Homem, ePark

143 a economia digital Uber UberEats O impacto de plataformas digitais no sector da restauração Desafios O setor da restauração tem um volume de negócios de aproximadamente 7,7 mil milhões de euros, sendo que 95% das empresas do setor têm menos de 10 pessoas ao serviço 1 . A pequena escala limita eficiências operacionais sem diminuir a complexidade de um negócio que implica investimentos iniciais substanciais e a necessidade constante de seguir preferências dos consumidores. Esta conjugação será das principais razões para que a esmagadora maioria de pequenos negócios represente apenas 51% do volume de negócios do setor 2 . Ora, a venda de refeições ao domicílio através de canais digitais é uma das maiores oportunidads de crescimento no setor da restauração. Entre 2017 e 2021 este canal deve crescer 16% ao ano 3 e está acessível tanto a pequenos operadores como as grandes cadeias preparadas para o aproveitar. Tecnologia A plataforma digital Uber Eats responde a duas necessidades dos restaurantes: Acesso a uma plataforma logística que permite chegar a milhares de novos clientes sem investimentos adicionais; Dados e análises essenciais para a otimização do negócio. Com base nos dados de milhares de pedidos, a tecnologia subjacente ao serviço permite fazer uma análise detalhada da popularidade de itens específicos do menu ou de novas receitas e conhecer a opinião dos clientes sobre aspetos concretos do que foi encomendado, destilando oportunidades reais de melhoria. Esta tecnologia permite também uma análise operacional da performance do restaurante, medindo capacidade de resposta, dias e horários de maior procura, ou o impacto da utilização de novos equipamentos ou da adaptação das equipas a flutuações da procura, por exemplo, no tempo de preparação de refeições ou na utilização da capacidade instalada. ResultadoS Aumento de vendas: Tanto restaurantes tradicionais como cadeias com múltiplas localizações reportaram crescimentos de vendas na ordem dos 20 a 25% 4 recorrendo à aplicação Uber Eats. Complementaridade online/offline: Grandes cadeias multinacionais afirmam que 70% das vendas através do serviço Uber Eats são incrementais relativamente às vendas no espaço físico dos restaurantes, um valor extremamente elevado, e que o pedido médio neste canal é entre 1,5 a 2 vezes maior do que o pedido médio em loja 5 . Coordenação/Autoria: Tomás Belchior, Uber 1 INE - Sistema de contas integradas das empresas (2018). Dados referentes a 2016. 2 INE - Sistema de contas integradas das empresas (2018). Dados referentes a 2016. 3 Morgan Stanley Research (2017) - “Alexa, what’s for dinner tonight?”. Disponível em: https://www.morganstanley.com/ ideas/online-food-delivery-market-expands 4 Informação fornecida pelos próprios restaurantes/ operadores. 5 Declarações de Kevin Ozan, CFO da McDonald’s Corporation na Bank of America Merrill Lynch Consumer & Retail Technology Conference (março de 2018). Disponível em: https://seekingalpha.com/article/4156440-mcdonalds -mcd-management-presents-bank-america-merrill-lynchconsumer-and-retail-technology A venda de refeições ao domicílio através de canais digitais é uma das maiores oportunidades de crescimento na restauração em portugal 2018 3. A Tecnologia na Transformação das Cidades e Territórios

REVISTA COMUNICAÇÕES

UPDATE

© APDC. Todos os direitos reservados. Contactos - Tel: 213 129 670 | Email: geral@apdc.pt