Views
1 year ago

A Economia Digital em Portugal 2018

  • Text
  • Permite
  • Resultados
  • Plataforma
  • Desafios
  • Economia
  • Portugal
  • Forma
  • Digital
  • Dados
  • Tecnologia

a economia

a economia em portugal 2018 digital 3. A Tecnologia na Transformação das Cidades e Territórios 140 A SmartCity Lagoa centraliza a operação em tempo real, disponibilizando as ferramentas para melhores decisões, antecipação de problemas e coordenação de recursos decisão, antecipação de problemas, resolução proativa e coordenação de recursos. São também os técnicos dos vários serviços que operam nesta nova sala de operações, que garantem a partilha dos relatórios de serviços e monitorizam o cumprimento dos KPI’s acordados. Também de forma a promover o desenvolvimento e produção de soluções urbanas inovadoras de forma integrada, o município de Lagoa quer disponibilizar os dados em regime de open data para potenciar a participação das empresas da região e criar um espaço de conceção, produção e experimentação de produtos e serviços com apoio do município e seus parceiros. ResultadoS Uma cidade “inteligente” não é a tecnologia, ou apenas esta, é o uso da tecnologia para resolver os problemas mais prementes da cidade. Lagoa é já hoje uma cidade que aborda os seus pontos mais problemáticos sem complexos e aproveita a informação recolhida como uma oportunidade de melhoria do serviço prestado para a sua comunidade, indivíduos e empresas. O desenvolvimento “inteligente” é colocar tempo, recursos e esforços nos lugares certos de forma a obter benefícios reais na sua operação. Coordenação/Autoria: Rui Mesquita, Câmara Municipal de Lagoa e Diogo Silva, NOS NOS A Carris e os seus clientes ligados ao mundo Disponibilização de uma rede wi-fi Desafios A Carris (operadora de transportes públicos de Lisboa) pretende oferecer aos seus clientes a possibilidade de acederem à internet, de forma gratuita, no interior dos seus veículos. Com esta realização, a Carris obtém um canal privilegiado para comunicar com os seus clientes em situação de mobilidade, obtendo resultados evidentes na perceção do serviço e na sua qualidade. O serviço deverá ficar disponível em toda a rede da empresa em 2018, em cerca 724 veículos (autocarros e eléctricos), três ascensores (Bica, Lavra e Glória) e um elevador (Santa Justa) de transporte público de passageiros. A ideia é que este serviço seja utilizado para tráfego público e privado, com segmentação de tráfego e estabelecimento de horários destinados ao público e ao suporte operacional da empresa. Em fase de testes foram construídos cenários em que máquina automáticas de venda comunicam os dados através da infraestrutura de wi-fi instalada. Num outro cenário, está a ser estudada a possibilidade de resgatar as duas bandas LTE para emissão de imagens em tempo real em situações de alarme. Modelos de utilização de probing podem também ser implementados, permitindo desta forma conhecer melhor o universo de utentes da Carris. Tecnologia Usando preferencialmente a tecnologia LTE/4G da NOS, com pelo menos duas bandas lte de frequência de operação disponíveis por serviço, com comunicações redundantes e mecanismos de load balancing entre os serviços disponíveis, conseguiram-se serviços suficientemente robustos para suportar, no caso de falhas de cobertura, a comutação e handover entre células. Os equipamentos instalados nos autocarros estão preparados com outras interfaces, nomeadamente com comutação entre bandas e DSRC, assim como a comunicação entre outros equipamentos de rádio, num arquitetura veículo para veículo. Esta infraestrutura permite que a Carris

141 a economia digital passe a ter a localização remota dos veículos em tempo real e a possibilidade de consultar o histórico dos percursos do veículo, bem como a possibilidade de cruzamento com a qualidade e tipo de sinal de comunicações ao longo das posições do percurso. Tudo monitorizado com uma ferramenta de acompanhamento do serviço, com relatórios mensais de utilização e de padrões de acesso incluindo, por exemplo, acessos diários, semanais, downloads e uploads totais e médios por dia, por semana, número de sessões e tempo, número de utilizadores, entre outros. ResultadoS O principal impacto do projeto é no serviço prestado aos utentes. Entre as características do serviço disponibilizado aos clientes da Carris, destaca-se o tráfego de dados praticamente ilimitado, sem contenção, e com garantia de qualidade de serviço comprovada (sem freezing de vídeos, ou fracionamento da imagem no acesso a conteúdos). Para a Carris esta transformação também teve um impacto importante na vertente operacional. Além da capacidade de consulta da posição dos veículos em tempo real (ou o seu histórico), a tecnologia permite que a Carris possa passar a disponibilizar, por exemplo, os tempos de espera de forma mais assertiva nas paragens. Não menos importantes são outros relatórios operacionais disponíveis para análise de performance e de gestão de rotas, como a contagem do throughput por período, por veículos, por carreiras, por zonas da cidade, distribuição da latência por período, por veículos, por carreiras, por zonas da cidade, repartição do tráfego entre dados de internet, outro tipo de dados, utilizadores, dados referentes aos clientes (como género, país de origem, etc). A nova capacidade de recolha de informação através destes sistemas e infraestrutura são cruciais na definição da estratégia futura de crescimento da empresa. Uma vez que grande parte da frota será equipada este ano, os resultados são aguardados com grande expectativa face aos objetivos. A Carris deseja transmitir não só uma imagem de modernidade aos seus clientes, mas um efetivo serviço de valor. A disponibilização de uma rede wi-fi é um canal para a empresa poder comunicar, ultrapassar barreiras de informação, muitas vezes um obstáculo ao uso do transporte público e, neste particular, dos serviços oferecidos pela Carris. Coordenação/Autoria: Miguel Silva, Carris e Diogo Silva, NOS PayPal App ePark Solução de pagamento mobile only da EMEL Desafios A app ePark é a primeira “página visível” de uma transformação que tem como um dos motores a experiência do utilizador. O parquímetro era o principal meio de pagamento, e para além de não transmitir informação em tempo real, obrigava o utilizador a “adivinhar” o tempo de estacionamento que necessitava e a ter moedas para conseguir pagar. Criada para gerir o estacionamento, a atividade da EMEL centrou-se durante anos em soluções tradicionais de pagamento e fiscalização do estacionamento, faltando a criação de ferramentas que facilitassem o cumprimento das regras, melhorassem a experiência e acrescentassem valor. Tecnologia Com foco na experiência do utilizador, identificou-se a necessidade de facilitar A disponibilização de uma rede wi-fi em todos os veículos é um canal para a Carris comunicar, ultrapassar barreiras de informação, por vezes um obstáculo ao uso do transporte público em portugal 2018 3. A Tecnologia na Transformação das Cidades e Territórios

REVISTA COMUNICAÇÕES

UPDATE

© APDC. Todos os direitos reservados. Contactos - Tel: 213 129 670 | Email: geral@apdc.pt