A Economia Digital em Portugal 2017

  • Sucesso
  • Cliente
  • Processo
  • Clientes
  • Forma
  • Economia
  • Processos
  • Projeto
  • Portugal
  • Digital

a economia

a economia em portugal 2017 digital 1.10 Saúde 88 mentação e apresentações públicas (tese de mestrado, papers, apresentações em diferentes conferências e eventos). domiciliária no primeiro ano da única unidade pública do país que permite a pacientes agudos, que ficariam internados, receber os cuidados em casa. A Unidade de Hospitalização Domiciliária é a única unidade pública do país que permite a pacientes agudos, que ficariam internados, receber os cuidados em casa Coordenação: Joana Castro e Costa, Gfi Mais informação: https://www.youtube.com/watch?v=RNn_FkwmrW0 HOSPITAL GARCIA DE orta Unidade de Hospitalização Domiciliária Digitalização da Unidade de Hospitalização Domiciliária O Hospital Garcia de Orta, inaugurado em 1991, situa-se na freguesia de Pragal, concelho de Almada. Serve os concelhos de Almada, Seixal e Sesimbra, sendo um dos maiores hospitais de Portugal. O Hospital Garcia de Orta (HGO) é o primeiro hospital em Portugal a implementar uma Unidade de Hospitalização Domiciliária (UHD) de doentes agudos. A UHD, centrada no doente e nas famílias/ cuidadores, implementou um modelo de assistência hospitalar que se carateriza pela prestação de cuidados no domicílio a doentes agudos, cujas condições biológicas, psicológicas e sociais o permitam. Assenta em cinco princípios fundamentais: voluntariedade na aceitação do modelo, igualdade de direitos e deveres do doente, equivalência de qualidade na prestação dos cuidados, rigor na admissão de doentes e no seu seguimento clínico, humanização de serviços e valorização do papel da família. Desde o início do projeto, mais de 270 doentes estiveram em hospitalização Objetivos A UHD tem por missão contribuir para o melhor nível possível de saúde e bem -estar dos indivíduos da área de abrangência do HGO, que necessitem transitoriamente (ou seja, durante a fase aguda ou agudizada da doença) de cuidados de nível hospitalar, oferecendo-lhes um serviço de qualidade com o rigor clinico e a visão holística e humanizada da Medicina Interna, sempre que a permanência no hospital seja prescindível. Assim, procura contribuir para um hospital sem muros, garantindo mais e melhores acessos aos cuidados de saúde, promovendo a redução das complicações inerentes ao internamento convencional, criando ainda um entorno psicológico mais favorável ao doente durante o período de tratamento e valorizando o papel da família/cuidador, prevenindo a rejeição, o abandono e a institucionalização. Os potenciais candidatos a internamento na urgência são geralmente detetados nas urgências, que fazem um pedido de avaliação à unidade de hospitalização domiciliária. É feita uma avaliação inicial, onde uma assistente social que integra a equipa se assegura das condições que o doente tem em casa, além da presença indispensável de um cuidador. No mesmo dia em que é decidido o internamento no domicílio, o doente recebe a visita do enfermeiro e, no dia seguinte, a visita do médico. A equipa do Garcia de Orta sempre que o doente faça os exames necessários no serviço de urgência, antes de ir para casa, entrega ao doente um dossier com um guia explicativo e um contacto da equipa que funciona 24 horas. Em casa, o paciente é monitorizado

89 em portugal 2017 1.10 Saúde a economia digital através de diferentes equipamentos de telemonitorização (oxímetros, pedómetros, glucómetros, termómetros, balanças, medidor de tensão arterial) disponibilizados ao utente pela equipa da UHD, em conjunto com um tablet previamente conectado a estes equipamentos. Neste tablet, o doente pode completar a informação recolhida pelos equipamentos com outras informações relevantes (por ex. nível de bem-estar), acompanhar a evolução da sua condição ou avaliar o cumprimento de objetivos definidos. Os registos da telemonitorização ficam automaticamente disponíveis para a equipa médica e de enfermagem que, através de um tablet ou de um computador, tem acesso a toda a informação registada, podendo, consoante os níveis de alarmística previamente definidos, ser alertada para situações de risco ou gravidade. Resultados Com início de atividade no final de 2015, a UHD do HGO conta já com cerca de 383 doentes saídos, com uma duração média do internamento em UHD de 8.7 dias de internamento. Após uma fase experimental, a primeira UHD nacional revela-se como um modelo assistencial alternativo ao internamento hospitalar convencional. Os dados disponíveis permitem já afirmar a existência de uma redução na taxa de complicações, nomeadamente infeções. A satisfação dos doentes e das famílias é elevada, bem como dos profissionais. Os custos diretos são menores. Na avaliação subsequente realizada em consulta externa, a grande maioria dos utentes apresenta-se estável, sem necessidade de reinternamento hospitalar. Ensinamentos e Fatores Críticos de Sucesso A opção pelo internamento domiciliário pode ser colocada na admissão do doente no serviço de urgência, na consulta externa e no Hospital de Dia, e exige um diagnóstico claro, a estabilidade clinica e a possibilidade de controlar O paciente é monitorizado em casa através de diferentes equipamentos de telemonitorização disponibilizados pela equipa da UHD, em conjunto com um tablet previamente conectado a estes equipamentos

REVISTA COMUNICAÇÕES

UPDATE

© APDC. Todos os direitos reservados. Contactos - Tel: 213 129 670 | Email: geral@apdc.pt