A Economia Digital em Portugal 2017

  • Sucesso
  • Cliente
  • Processo
  • Clientes
  • Forma
  • Economia
  • Processos
  • Projeto
  • Portugal
  • Digital

a economia

a economia em portugal 2017 digital 1.8 Infraestruturas e Transportes 76 A Fertagus disponibiliza aos seus passageiros um novo serviço que permite a travessia de comboio ou de autocarro da Ponte 25 de Abril sem a compra prévia de títulos de transporte Fertagus ZAST Desmaterialização do processo de viagem em transportes públicos A transformação digital, ou seja, a capacidade de potenciar o papel das TIC como elemento transformador da forma de fazer negócio, atinge todos os setores da economia e os Transportes Públicos não constituem exceção. Ciente desta realidade e da apetência dos clientes em adotarem rapidamente soluções que lhes facilitem o dia-a-dia, a Novabase desenvolveu uma plataforma de serviços que permite ao cliente viajar sem necessidade de previamente adquirir um bilhete de transporte. A plataforma automaticamente e de forma adaptada ao perfil de cada cliente, aplicará o melhor custo à viagem ou conjunto de viagem. Esta nova e inovadora plataforma, “ZAST”, tem como ambição provocar uma mudança na forma como viajamos nos transportes públicos e pretende posicionar-se no mercado global, tirando partido do funcionamento cloud, que a torna disponível em qualquer local, em qualquer momento. Em Portugal, a Novabase estabeleceu uma parceria com a Viaverde, constituindo a plataforma “ZAST” a base do novo serviço Via Verde Transporte. O novo serviço pode ser desde já utilizado na Fertagus, que se constitui assim como primeiro cliente em Portugal a disponibilizar aos seus passageiros da travessia de comboio da Ponte 25 Abril e dos autocarros, esta “nova forma de viajar”. Como referido, neste novo serviço pretende-se que o cliente simplesmente instale a app, entre no transporte e inicie a sua viagem, o sistema automaticamente calculará a melhor tarifa a aplicar, com base no perfil do cliente e nas regras definidas pelo operador. No fim da viagem será efetuado o débito, no meio de pagamento associado. Em Portugal será debitado utilizando o serviço Via Verde. Com este serviço, o operador não só disponibiliza ao cliente uma forma simples de viajar, como ganha um instrumento de enorme flexibilidade que lhe permite definir novas regras tarifárias, seja numa lógica própria, seja numa lógica combinada com outros operadores, tornando-se num exemplo claro da utilização das TIC como elemento transformador da relação com o cliente e da forma de fazer negócio. Mesmo no caso de estações fechadas, ou seja, em que é necessário interagir com o controle da cancela (gate), existe nativamente no serviço uma opção baseada em Qr-Code e/ou comunicação Bluetooth Low Energy, que assegura a necessária comunicação entre o telemóvel do utilizador e a cancela, sem limitação de marca/modelo de telemóvel. Objetivos O projeto visa criar uma nova plataforma de mobilidade, totalmente baseado na cloud, e acessível através da app instalada pelo utilizador, tendo dessa forma condições para se posicionar no mercado global, gerando a massa crítica que permita a sua adoção como plataforma universal de mobilidade. Para a concretização desta ambição de globalidade, é fundamental criar cases de sucesso que permitam validar o conceito e servir de demonstração para novos clientes. Este é o desafio para Portugal, cimentado numa parceria com a Via Verde Portugal, que lançou o seu novo serviço (Via Verde Transportes), assente nesta nova plataforma. Resultados O projeto encontra-se numa fase inicial de exploração na Fertagus, esperando-se a gradual adoção por parte dos

77 em portugal 2017 1.8 Infraestruturas e Transportes a economia digital clientes e a expansão futura a outros operadores. A acrescida flexibilidade oferecida pela plataforma deu à Fertagus a possibilidade de criar novas estruturas de pricing, destinadas a fomentar uma maior utilização dos seus serviços, pela aplicação de escalões de desconto mais agressivos, permitindo ao operador conhecer melhor o perfil dos seus clientes de forma a melhor adequar a sua oferta. Métricas Alavancando no seu profundo conhecimento de sistemas de bilhética, a Novabase envolveu uma equipa multidisciplinar quer para efeitos de desenvolvimento nas distintas tecnologias, quer funcional e de usabilidade. ensinamentos e fatores críticos de sucesso Não ter receio de ser disruptivo e olhar para as dificuldades como oportunidades de criar fatores diferenciadores. Do lado do operador é fundamental que a disponibilização desta nova plataforma se insira numa estratégia de aproximação ao cliente facilitando-lhe todo o processo de viajar e incentivando, através dessa simplificação, a sua maior utilização. Ganhar referências no mercado que permitam consolidar esta plataforma como uma referência, quando se fala em simplificação do processo de utilizar transportes públicos, contribuindo dessa forma para um aumento da utilização desse tipo de mobilidade e, por essa via, para uma maior sustentabilidade global. Introduzir novas facilidades que tornem a utilização desta plataforma uma peça natural do processo de viagem, tornando-a assim componente indispensável para o dia-a-dia do cliente. A par da maior sustentabilidade dos veículos utilizados, o aumento de eficácia dos operadores de transporte, diminuindo custos operacionais e libertando capacidade de financiamento, será uma cada vez maior preocupação de quem gere este setor de atividade. Coordenação: Carmo Palma e Manuel Garcia, Novabase A ZAST tem como ambição provocar uma mudança na forma como viajamos nos transportes públicos e pretende posicionar-se no mercado global, tirando partido da cloud

REVISTA COMUNICAÇÕES

UPDATE

© APDC. Todos os direitos reservados. Contactos - Tel: 213 129 670 | Email: geral@apdc.pt