A Economia Digital em Portugal 2017

  • Sucesso
  • Cliente
  • Processo
  • Clientes
  • Forma
  • Economia
  • Processos
  • Projeto
  • Portugal
  • Digital

2.2 cidades e

2.2 cidades e territórios digitais Aorgânica das cidades funcionará, cada vez mais, como um todo, onde a conetividade é a palavra-chave. Nas novas urbes, através da tecnologia o cidadão poderá aspirar a índices de qualidade de vida superiores, uma vez que a digitalização está a provar ter impactos muito positivos ao nível ambiental, social e económico. Em Portugal os projetos em torno das smart cities sucedem-se a um ritmo entusiasmante, provando o potencial do país. Câmara Municipal de Abrantes Transformação digital – Smarter Cities Implementação de projeto de Smarter Cities O projeto global de "Abrantes Cidade Inteligente" nasceu há oito anos quando a presidência da câmara se deparou com a inexistência de soluções que lhe permitissem ter uma visão holística da relação entre a Câmara Municipal de Abrantes (cma) e seus serviços, com os seus munícipes. Era necessário uma solução que permitisse suportar a desmaterialização dos processos, a gestão das interações com o munícipe e ferramentas operacionais de otimização da gestão dos recursos utilizados. Objetivos O projeto global visou a transformação digital da autarquia para otimizar o seu funcionamento interno e a interação com os munícipes. A estratégia implementada focou-se inicialmente na componente de transformação interna através do desenvolvimento, interno e externo, de um conjunto de ferramentas:

127 a economia digital repositório digital, gestão de identidades, gestão de processos, gestão de pesquisas, Intranet, gestão do Parque Tejo, gestão de cemitérios, gestão de arquivo, gestão de bibliotecas e gestão da comunicação, gestão de piscinas, gestão de empreitadas, ERP de recursos humanos, orçamento participativo, ERP financeiro, SIG, gestão da assiduidade e Smarter Cities. O desenvolvimento destas ferramentas criou, de forma continuada e progressiva, um ecossistema digital que permitiu a criação e disponibilização da Plataforma Abrantes 360, canal único de comunicação bidirecional. O projeto tinha de compatibilizar a capacidade interna da cma e dos seus colaboradores e a identificação de soluções comprovadas no mercado com capacidade de adaptação aos requisitos específicos e foi desenvolvido tendo por base a premissa de integração de todas as soluções. Com base na necessidade da otimização e da racionalização dos recursos, o projeto de Smarter Cities tinha como objetivo a melhoria operacional e a criação de ferramentas de apoio à decisão nas áreas identificadas de gestão de energética, gestão de resíduos, gestão de rega, interação com o cidadão, comércio justo, vídeo vigilância, transportes e mobilidade, e monitorização centralizada. Resultados Os resultados da implementação do projeto de Smarter Cities podem ser divididos em quatro áreas: Ambiental Gestão mais eficiente. Controlo, redução e monitorização de consumos. Controlo da manutenção de equipamentos e seu efeito ambiental. Definição de indicadores de impacto na gestão do ambiente. Desenvolvimento urbano sustentável. Social Ligação da informação entre áreas de atuação. Melhoria da capacidade de resposta. Maior eficiência dos seviços públicos prestados. Benchmarking entre instituições ou serviços. Maior proximidade entre o município e o munícipe. Económico Gestão integrada. Controlo documental integral. Potencial de poupança orçamental. Melhor planeamento de investimentos. Político Antecipação dos problemas críticos – alarmística. Maior responsabilização das equipas. Melhoria de gestão operacional e da coordenação das equipas. Centralização numa aplicação de toda a informação relevante. Apoio à tomada de decisão. Maior nível de accountability. Métricas Dada a abrangência dos projetos foram implementadas métricas financeiras e de desempenho adequadas às especificidades dos projetos existentes. Os objetivos são mensuráveis nas diversas unidades orgânicas da cma e os mais relevantes são partilhados de dois em dois meses na Assembleia Municipal. Do ponto de vista da relação com o munícipe e da adopção da plataforma Abrantes 360, a métrica é a adesão dos mesmos à ferramenta através do acesso ao sistema de gestão de identidades adotado. Ensinamentos e Fatores Críticos de Sucesso Um processo de transformação digital, qualquer que seja, não pode ser efetua- O projeto Smarter Cities visou a transformação digital da Câmara Municipal de Abrantes para otimizar o seu funcionamento interno e a interação com os munícipes em portugal 2017 2.2 Cidades e Territórios Digitais

REVISTA COMUNICAÇÕES

UPDATE

© APDC. Todos os direitos reservados. Contactos - Tel: 213 129 670 | Email: geral@apdc.pt