Views
1 year ago

A Economia Digital em Portugal 2016

  • Text
  • Crescimento
  • Maior
  • Digitais
  • Forma
  • Setor
  • Dados
  • Economia
  • Empresas
  • Portugal
  • Digital

a economia

a economia em portugal 2016 digital 4.2 Administração Pública 50 Os serviços de cloud pública, quer de infraestrutura quer de plataforma, começam já a ser adotados por alguns organismos géticas, as cidades inteligentes, a monitorização de infraestruturas, a proteção civil, a saúde ou a defesa beneficiarão da adoção de estratégias que incluam esta nova realidade. Big Data Apesar da relevância do Business Intelligence (BI) nos últimos anos, a explosão de dispositivos e aplicativos conectados está a gerar um crescimento exponencial dos dados e a necessidade de obter “informação” e “conhecimento” com tecnologias de Big Data aplicadas sobre esses dados. Estes dados, disponíveis nos mais variados formatos e provenientes das mais variadas fontes (sistemas aplicacionais, call centers, redes sociais, tickets, faturas, logs de sistemas, blogs, sensores, entre outros), quando devidamente cruzados, processados e interpretados, fornecem informação nova e relevante sobre os serviços prestados e o seu impacto nos cidadãos. Hoje é já possível processar informação de sensores, sinais de trânsito, câmaras de videovigilância, blogs e redes sociais e cruzar com dados históricos para prever inundações ou acidentes. Materialização em Portugal Em Portugal são já inúmeros os casos de transformação digital nos organismos e serviços da Administração Pública, que materializam cada uma das tendências referidas e que refletem um novo modus operandi, criando agilidade, rapidez e mais eficiência aos processos já existentes. A partilha de dados públicos (Open Data) permite criar um ecossistema colaborativo entre AP, empresas e cidadãos. A plataforma dados.gov. pt agrega dados abertos de distintas entidades da Administração Pública, além das referências a sites da AP que têm disponíveis dados para exportação, análise e visualização. Ainda no domínio da transparência destaca-se a publicação das listas de nomeações para os gabinetes ministeriais e respetivas remunerações no Portal do Governo (portugal.gov.pt/pt/o-governo/ nomeacoes.aspx), os contratos celebrados pelas entidades públicas no Base (base.gov.pt) e a consulta de listas de espera e tempos médios de espera dos vários serviços que integram o Serviço Nacional de Saúde no Portal do SNS (sns.gov.pt/transparencia/). A Administração Pública tem procurado ser mais inclusiva e sensível às necessidades dos cidadãos, respondendo à crescente vontade destes em influenciar a tomada de decisão pública (Citizen Engagement). O Livro Simplex (simplex.gov.pt/livro) e o orçamento participativo, que ocorre em algumas autarquias e se prevê alargar ao Orçamento de Estado em 2017, são alguns dos mecanismos de auscultação dos cidadãos, permitindo incorporar projetos propostos e escolhidos pelos cidadãos. O GeoEstrela (geoestrela.pt) ou Fixcascais (fixcascais.cm-cascais.pt) definem uma nova filosofia de gestão assente na colaboração entre a comunidade e a autarquia, em que o cidadão assume um papel central na identificação, reporte e resolução dos problemas que o afetam, bem como na priorização das intervenções. Mas o foco no cidadão alarga-se a outras áreas como o contacto personalizado e proativo efetuado pela Autoridade Tributária, alertando os contribuintes acerca das datas de pagamento dos impostos, ou o alerta para consultas agendadas, efetuado em alguns centros hospitalares. A recolha, análise e tratamento da informação disponível nas organizações, complementada pelo acesso a dados públicos de outras

51 a economia digital entidades (Open Data), de redes sociais e de sinais GPS, permite obter insights sobre as operações e melhorar a sua eficiência e eficácia (Big Data). A plataforma vital do Hospital de São João, que agrega toda a informação clínica e laboratorial residente nas diferentes aplicações utilizadas no hospital, permite estimar índices de risco associados a cada doente que dá entrada no hospital, a qual é comunicada aos profissionais de saúde se for caso disso, permitindo antecipar e prevenir 30% das entradas nas Unidades de Cuidados Intensivos. No que concerne à mobilidade, a Administração Pública tem já forte representatividade de serviços online, que o Simplex vem reforçar, que evitam deslocações físicas ou contactos adicionais por parte dos cidadãos. Desde o mais recente registo criminal online (registocriminal.justica.gov.pt), passando pela marcação de consultas online no seu centro de saúde (servicos.min-saude. pt/utente/), ou pelo agendamento de atendimento através da aplicação mapa do cidadão (mapadocidadao.pt), são inúmeros os serviços disponíveis. Destaca-se ainda a iniciativa Chave Digital Móvel, que permite a qualquer cidadão autenticar e aceder a serviços em portais de entidades públicas e privadas com recurso ao seu telemóvel ou e-mail. Numa perspetiva de eficiência interna, refere-se a utilização generalizada de soluções de videoconferência e de produtividade, como no caso do IEFP, permitindo agilizar e facilitar as reuniões com pessoas localizadas em vários pontos do país, enquanto que a atualização dos postos de trabalho com software de produtividade integrado, desde email e partilha de documentos a soluções de segurança de dados e armazenamento na cloud, facilitam a partilha de informação e documentos entre os colaboradores e o acesso aos mesmos em qualquer dispositivo e em qualquer lugar. Os serviços de cloud pública, quer de infraestrutura quer de plataforma, começam já a ser adotados por alguns organismos, nomeadamente para áreas de arquivo e armazenamento de informação e alojamento de portais. Destaque-se o exemplo da Assembleia Legislativa da Região Autónoma dos Açores, que disponibiliza online as gravações vídeo dos trabalhos parlamentares, num portal de vídeo 24 horas integrado em serviços cloud, possibilitando a sua consulta em qualquer dispositivo. A infraestrutura física requerida para um projeto desta natureza inviabilizaria a sua concretização. Conclusões O setor da Administração Pública, sob fortes constrangimentos orçamentais e escrutínio público, enfrenta grandes desafios na prestação de serviços a cidadãos com características e necessidades díspares: por um lado, uma geração envelhecida que privilegia o contacto presencial, por outro, uma geração de “nativos digitais”. A transformação digital, viabilizada pelo programa de investimentos Portugal 2020, permite i) criar agilidade, rapidez e eficiência aos processos internos; ii) melhorar o relacionamento com o cidadão e a qualidade do serviço prestado, iii) otimizar e racionalizar os recursos utilizados. Em Portugal são já inúmeros os organismos públicos que, por via da transformação digital, conseguiram disponibilizar novos serviços de outra forma inviáveis. Casos como o do IEFP, Hospital de S. João ou Assembleia Legislativa da Região Autónoma dos Açores serão cada vez mais frequentes.• em portugal 2016 4.2 Administração Pública

REVISTA COMUNICAÇÕES

UPDATE

© APDC. Todos os direitos reservados. Contactos - Tel: 213 129 670 | Email: geral@apdc.pt