Views
1 year ago

A Economia Digital em Portugal 2016

  • Text
  • Crescimento
  • Maior
  • Digitais
  • Forma
  • Setor
  • Dados
  • Economia
  • Empresas
  • Portugal
  • Digital

a economia

a economia em portugal 2016 digital 1. Estratégia Digital 12 As empresas deverão implementar novos métodos de inovação, mais ágeis e focados, desde a ideia ao lançamento de um novo produto/ serviço. Estratégias de desenvolvimento interno já não são suficientes 3 Comissão Europeia para perto de 5% (metade da média europeia), aproximadamente €2,3MM em 2020. De acordo com dados ACEPI/Ecommerce-europe, estimamse vendas de €1,5MM em 2015 (65% face ao objetivo de 2020). Para isto, a efetiva implementação de uma estratégia digital/omnicanal e o uso de analytics será fundamental (conhecimento do consumidor, monitorização e suporte à tomada de decisão just- -in-time), a par da digitalização ao longo da cadeia de valor, procurando otimização de custos e incremento da eficiência (IoT). Publicidade online: Aumento da quota da publicidade online para 9,5% (metade da média europeia), correspondendo a um aumento de cerca de 20M€ face às receitas atuais. Cabe às empresas de media potenciar este indicador através da oferta de conteúdos acessíveis em todo o lado e em qualquer momento para uma visão mais rica e integrada do consumidor; aproveitamento de tecnologias de analytics para segmentação do consumidor; inserção dinâmica de publicidade direcionada para aumento do valor da publicidade. Running Enterprises Soluções tecnológicas: Aumento do nível de penetração de soluções tecnológicas nas empresas para os níveis de Espanha/Itália. Em particular, o aumento da percentagem de empresas que utilizam as redes sociais para comunicar e envolver o cliente para 21% – face aos 12% atuais –, e o aumento da percentagem de empresas que utiliza soluções cloud, de 8% para 20% 3 . Ainda que exija um esforço financeiro no curto prazo, a capacitação tecnológica potenciará um maior crescimento a médio/longo prazo. Inovação: Uma alteração dos mecanismos de inovação terá também um peso elevado no DDI de Portugal. As empresas deverão procurar implementar novos métodos de inovação, mais ágeis e focados, desde a ideia ao desenvolvimento de um novo produto/serviço. Estratégias de aquisição e desenvolvimento interno já não se apresentam como suficientes. As empresas deverão implementar estratégias de inovação integradas, conjugando aquisições, parcerias, investimentos, desenvolvimento interno e incubação/aceleração – o World Economic Forum afirma que o recurso ao crowdsourcing e a tecnologias avançadas, como inteligência artificial, pode aumentar o desempenho da I&D em mais de 20%. Workforce: Estudos recentes da UE indicam que 48% dos trabalhadores em Portugal têm baixa ou nenhuma capacidade para interagir com o digital e a percentagem de colaboradores especializados em áreas TIC equivale apenas a 1,7% da população ativa, a contrastar com os 2,8% da média europeia. Deve garantir-se uma estrutura de capital humano adequada à evolução dos modelos de negócio, desde a visão do colaborador à capacidade de resposta ao consumidor digital. Ações realizadas passaram por incutir a transição do tradicional modelo hierárquico para um modelo funcional e o foco na “Experiência do Colaborador”. Também o modelo de liderança deverá ser uma área de foco. A excelência numa cultura de transparência, os métodos de recrutamento cada vez mais digitais, o investimento na formação nas áreas TIC e a aposta na contratação de millennials como pilares da evolução tecnológica, foco e ambição, são alguns dos sinais dessa mudança.

13 em portugal 2016 1. Estratégia Digital a economia digital Sourcing Inputs Industrial Internet of Things (IIoT): A indústria em Portugal deve seguir práticas de referência internacionais na introdução de tecnologias de conexão de equipamentos e infraestruturas. Segundo dados da Machina Research, o peso das comunicações machine-to-machine (M2M) atingirá os 22% do total das ligações móveis mundiais em 2022, face aos 3% verificados em 2012. Financiamento: Portugal deve inovar no acesso, no processo e nas soluções de financiamento, começando por aumentar a taxa de utilização do online banking para níveis verificados na média europeia – de 41% da população portuguesa (entre os 16 e 74 anos) que utiliza serviços bancários pela internet, para 57% verificado na média da Europa, segundo dados da Comissão Europeia. Portugal deve introduzir soluções de financiamento que têm surgido em várias startups no setor de serviços financeiros com significativas melhorias ou alternativas às soluções de financiamento tradicionais. A eliminação de assimetrias de informação, a par da democratização do acesso a financiamento e investimento, possibilita um processo de financiamento mais célere e a custos mais ajustados ao risco – contribuindo em última instância para uma melhor afetação de recursos de uma economia. Fostering Enablers Conetividade móvel: Devem ser feitos esforços para melhorar os níveis de conetividade móvel do país, através da expansão da banda larga móvel, de forma a fechar a atual lacuna de 20% que Portugal apresenta face à média europeia. Ambiente Digital: Portugal deve ser ainda capaz de prosseguir reformas por forma a melhorar o atual ambiente de negócios, impulsionando o indicador de Ease of Doing Business. O ensino deverá continuar a ser uma área de foco para potenciar a mudança. Um aumento do investimento público e privado nas áreas tecnológicas das escolas suportará a evolução digital, potenciando a criação de um hub de serviços tecnológicos a um ecossistema internacional de novos negócios digitais. Conclusão É hoje do conhecimento do governo e das maiores empresas a operarem no mercado português a importância das tecnologias digitais como um dos principais enablers para o aumento dos níveis de crescimento e de competitividade da economia nacional. O estudo realizado pela Accenture Strategy e a Oxford Economics vem fundamentar esse reconhecimento com dados empíricos. Dados esses que reconhecem, também, uma divergência temporal significativa entre o aumento do nível de penetração das tecnologias digitais na economia e o aumento de produtividade e crescimento da mesma. Razão pela qual o estudo reafirma a criticidade de tomar as medidas certas no tempo presente. Tornar o digital parte integrante do negócio e investir em inovação Transformar os modelos operativos Tecnologia como potenciadora dos fatores de produção Progressão digital com foco no Capital Humano O IDD será um guião para o governo e principais players da economia portuguesa, na tomada de decisões de investimento em tecnologias digitais. Permitindo maior rigor e precisão em estratégias de investimento, potenciando o impacto das novas tecnologias digitais nos níveis de crescimento e de produtividade da economia portuguesa.• O IDD será um guião para o governo e principais players da economia portuguesa na tomada de decisões de investimento em tecnologias digitais. Esta ferramenta permitirá maior rigor em estratégias de investimento

REVISTA COMUNICAÇÕES

UPDATE

© APDC. Todos os direitos reservados. Contactos - Tel: 213 129 670 | Email: geral@apdc.pt