62 - Webinar Private Wireless Networks

  • Wwwapdcpt
  • Networks
  • Clientes
  • Maior
  • Privadas
  • Capacidade
  • Novas
  • Necessidades
  • Todas
  • Wireless
  • Redes
  • Digital

WEBINAR - PRIVATE

WEBINAR - PRIVATE WIRELESS NETWORKS Carlos Paulino Managing Director, Equinix “Não há dúvida nenhuma que o mundo ficou mais complexo na forma de fazer negócios e que para competir na economia digital as empresas têm de tornar os seus negócios digitais. Todas as indústrias estão em transformação e a concorrência pode surgir das mais variadas formas” “Cada empresa tem de procurar as melhores soluções dentro do que será o paradigma das novas capacidades 5G, que será uma tecnologia totalmente revolucionária. Precisamos de apoiar todos os setores para que esta transformação se faça com a necessária celeridade, sobretudo agora num cenário pandémico, que obriga ainda a uma maior aceleração” “Para competir na economia digital, as empresas devem antecipar-se e adaptar-se, para conseguir dar resposta a necessidades que podem não estar ainda a antever. A capacidade de ter sistemas que possam a cada momento ser reconfigurados, reprogramados e estendidos é para nós a visão do que pode ser esta capacidade de mover cargas para o digital edge. Nenhuma empresa ficará de fora desta tendência de futuro” Cláudio Pinto Information Systems Division Manager, APP “A nossa visão é apostar numa maior colaboração do Porto de Sines com os seus parceiros, a comunidade portuária, a zona industrial adjacente e a rede logística. O caminho que fizemos até agora foi muito focado na melhoria de processos e do workflow, eliminando as gorduras. Precisamos agora de dar um passo mais além” “Temos de criar e facilitar soluções que permitam uma resposta harmonizada em todas as dimensões. Temos de acrescentar uma nova camada ao que já fizemos e é aqui que vemos a forma como as redes privadas móveis nos poderão servir de acelerador desta transformação” “Em 2021 vamos começar a programar os próximos passos e o objetivo é alargar a todos os portos. A digitalização dos portos é uma das prioridades nacionais e a ambição é aproximarmo-nos dos maiores e mais competitivos portos, porque ainda estamos aquém. As tecnologias serão determinantes para o sucesso da estratégia”

7 um acelerador e novas formas de pensar e de transportar os dados”, diz. DESCOMPLICAR O COMPLEXO Com mais de 200 data centres em todo o mundo, a Equinix tem capacidade para levar as redes privadas a todas as outras localizações onde os clientes têm de se ligar neste novo paradigma de ecossistemas complexos, com interligações a vários players, fornecedores e clientes. Carlos Paulino, Managing Director da Equinix, não tem dúvidas de que “o mundo ficou mais complexo na forma como faz negócios. Para competir na economia digital, as empresas têm de tornar os seus negócios digitais”. Perante sistemas muito complexos, com múltiplos devices interconectados, a capacidade de manter a privacidade surge como um desafio adicional para todas as indústrias, porque estão em transformação e a concorrência pode surgir das mais variadas formas e dos mais variados lugares. Por isso, “cada um tem de procurar as melhores soluções dentro do que será o paradigma das novas capacidades, incluindo do 5G, que será totalmente revolucionário”, assegura este responsável. Perante as 5 macrotendências influenciam mundo digital - negócios cada vez mais digitais, urbanização inteligente, cibersegurança, data compliance e ecossistema de negócio – Carlos Paulino defende “a necessidade de diversas interconexões em larga escala, para colmatar as necessidades em cada momento nas organizações”. É essa a visão da Equinix: uma capacidade de interconexão flexível e que se aproxime a distribuição computacional que existirá no futuro, garantindo a ligação entre parceiros deste novo ecossistema digital de negócios, mas também entre colaboradores e fornecedores, com “a criação de novas ligações para responder aos novos contextos que vivemos”. Segundo o gestor, “para competir nesta economia digital, as empresas devem antecipar-se e adaptar-se, para conseguirem dar resposta a necessidades, até as que podem ainda não a antever”. O que implica ter capacidade de ter sistemas que podem, a cada momento, ser reconfigurados, reprogramados e estendidos. E “nenhuma empresa ficará de fora desta tendência de futuro”. A experiência do grupo mostra que “estamos a ver cada vez mais infraestruturas híbridas, com uma distribuição de cargas de trabalho entre clouds privadas, no edge e uma solução integrada com clouds públicas”. PRÓXIMO ANO VAI TRAZER GRANDES OPORTUNIDADES Os portos são um dos setores que mais valor poderão retirar da aposta numa rede móvel privada. Nos nove portos nacionais, há duas décadas que se vem a apostar na digitalização, com o desenvolvimento do projeto da Janela Única Portuária, na prática um sistema colaborativo com duas dimensões: um conjunto de soluções para dar resposta às necessidades operacionais de cada porto e a integração com as autoridades e agilização de processos. Mais recentemente, o conceito e a plataforma foram alargados a toda a cadeia de transportes. Como explica Claúdio Pinto, Information Systems Division Manager da APP - Associação dos Portos de Portugal, e Chefe de Divisão Tecnologias e Sistemas de Informação do Porto de Sines, o projeto está agora em fase final de

REVISTA COMUNICAÇÕES

UPDATE

© APDC. Todos os direitos reservados. Contactos - Tel: 213 129 670 | Email: geral@apdc.pt