Views
1 year ago

38 - 28º Digital Business Congress

  • Text
  • Tecnologias
  • Dados
  • Tudo
  • Grande
  • Ainda
  • Forma
  • Portugal
  • Empresas
  • Tecnologia
  • Digital

28º

28º Digital Business Congress José Correia Diretor Geral, HP Portugal “A forma mais fácil de entrar num sistema é explorar a fragilidade humana. Trabalhamos muito ao nível da proteção da identidade das pessoas, com sistemas de autenticação multinível” “Impressoras e computadores são uma das principais portas de entrada dos ataques às organizações, pelo que temos que ter a melhor tecnologia no momento da compra, para prevenir. Há empresas que já têm este nível de preocupação na renovação do parque informático, mas a larga maioria ainda não” “A segurança terá necessariamente que ser uma área a endereçar por todos. É fundamental que os sistemas e equipamentos sejam resilientes, capazes de se autorregenerarem para os ataques não vingarem” Pedro Afonso CEO, Axians Portugal “A segurança tem que estar no centro da agenda da nossa vida, porque o maior problema está nas pessoas. Temos a mania de só aprender com os nossos erros, mas se aprendermos com os erros dos outros andamos mais rápido. Isso exige uma visão sistemática e sistémica, com tudo integrado” “As leis a regulação são menos importantes, porque só aparecem quando o homem quer. Quem passa pelo problema está muito atento à cibersegurança, que passa a ser um tema de negócio. Trata-se, antes de mais, de um tema de prevenção” “Em Portugal, os CIO’s tentam fazer o IT baratinho, quando o que está em causa é a própria segurança do negócio das empresas. A cibersegurança é um tema transversal e as pessoas ainda não se aperceberam disso” Sofia Tenreiro Diretora Geral, Cisco Portugal “A tecnologia não é a única solução para a cibersegurança. Precisamos dela para ter uma estratégia estruturada, mas há que criar confiança e educar as pessoas. Com o awareness, conseguimos mitigar muito mais os impactos dos ciberataques” “Estamos a assistir a níveis de sofisticação nunca antes vistos. Os ataques não são feitos só por pessoas, mas por máquinas, com um potencial de ameaça muito maior. Temos que olhar para estas tendências e estar atentos” “Tão importante como bloquear os ataques é ter visibilidade sobre eles, percebendo o que está a acontecer em cada momento. É que, infelizmente, não se podem bloquear todos os ataques. Já são uma indústria e algo que acontece a todos os dias e a toda a hora. Temos que ter uma estratégia de segurança que permita fazer face a esta realidade” Miguel Duarte Fernandes Head of Business Portugal, Paypal “O nosso projeto foi criado há 20 anos para trazer segurança aos pagamentos. A génese vem muito desta área da segurança e é um dos principais motivos que faz com que tenhamos o número de clientes atual. É a base do nosso serviço” “Não há sistemas 100% seguros, mas não queremos que comprar online seja uma dor de cabeça. O principal desafio é manter o sistema o mais seguro possível e, ao mesmo tempo, o mais fácil e simples de utilizar” “A partir do momento em que se tornou rentável roubar informação, os ataques não vão acabar. Todos teremos que evoluir e criar novos hábitos de prevenção, estando mais alertas e tomando mais medidas, como já acontece no mundo físico”

35 CARREIRAS DE SUCESSO Dionísia Ferreira Administradora, CTT “A diversidade de género faz a diferença numa equipa. É muito mais enriquecedor ter equipas mistas, porque homens e mulheres trabalham e pensam de forma diferente” “Sair da zona de conforto pode ser assustador, mas faz crescer a nível pessoal e profissional. Num percurso profissional não há situações fáceis e difíceis, há que arriscar e avançar ter confiança, ser determinado e aprender com os erros” “É necessário perceber que o trabalho em equipa às vezes é mais importante que o recrutamento de pessoas altamente especializadas. Sem talento motivado e com espírito de equipa, as organizações não vão mais além” “Os nossos talentos não têm fronteiras nem pátria e são os nossos embaixadores lá fora. Deveria ser obrigatório ter uma experiência de trabalho no exterior” “O talento junto cria ainda mais talento. Temos que estar sempre perto do nosso propósito, sejam eles clientes, parceiros, fãs, seguidores ou outros. É preciso investir na inovação, porque se não o fizermos alguém o faz” “Temos que nos manter curiosos até morrer. Esse é o grande foco. E viciar-nos em concretizar, tentando crescer sempre mais, quer ao nível profissional quer pessoal” Miguel Carvalho Founder e CEO, Yubuy “Acredito que somos fruto do berço onde nascemos. Não podemos ser felizes numa carreira profissional sem sermos felizes como um todo” “Há muito valor na não especialização, porque o conhecimento não fica obsoleto” “Não acredito que a pessoa deva permanecer no local que ocupa quando já não acredita no desafio ou quando a sua posição na empresa já não é essencial. Quando um ciclo se fecha, não vale a pena enganarmo-nos, temos que avançar” Nuno Ferreira Pires CEO, Sport TV

REVISTA COMUNICAÇÕES

UPDATE

© APDC. Todos os direitos reservados. Contactos - Tel: 213 129 670 | Email: geral@apdc.pt