Views
1 year ago

36 - Digital Business Breakfast | The Future of Marketing

  • Text
  • Google
  • Grupo
  • Consumidores
  • Processo
  • Empresas
  • Consumidor
  • Cliente
  • Dados
  • Digital
  • Marketing
25 junho 2018 | Epic Sana Lisboa Amoreiras

DIGITAL BUSINESS

DIGITAL BUSINESS BREAKFAST Luís Monteiro Executive Board Member - Digital, Product and Loyalty, Grupo Pestana “O consumidor está a mudar mais rápido do que o que imaginávamos. Na hora da decisão, quer mais touch points, mais exigência e mais feedback, o que exige de nós sermos cada vez mais genuínos” “O conhecimento que poderíamos ter sobre os nossos clientes é exponencialmente maior do que o que temos. A oportunidade existe, de facto. Está provado que conseguimos impactos muito grandes com o big data” “O que procuramos são pessoas corajosas, porque o mundo digital é fast moving; tudo o que hoje é verdade amanhã não o é. Queremos pessoas analíticas, muito colaborativas e team players. Só assim se consegue sobreviver” Bruno Almeida Chief Marketing Officer, Unilever “A democratização do mercado, pelo fragmentar de plataformas e pelo acesso e empowerment que isso dá ao consumidor, é uma mudança muito significativa para a nossa indústria” “A transformação e internalização dos progressos tecnológicos e o que exige para as equipas é a maior dificuldade. Adaptar as estruturas e as skills das equipas atuais, que têm que interiorizar as novas ferramentas de marketing e de data para trabalharem as suas campanhas de forma mais eficaz, é um processo lento” “Não tenho ninguém no mercado que me consiga dar as respostas todas, porque estamos num mundo tão volátil e com uma velocidade de evolução tão grande que é impossível. A exigência é real para todo o ecossistema. Por isso, temos que trabalhar de mãos dadas”

7 Do debate ficou claro que o cliente está a mudar rapidamente. De tal forma que chega a ser impossível perceber todas as alterações, como é o caso do retalho Digital, Product and Loyalty do Grupo Pestana. São mais exigentes, querem mais pontos de contacto e mais feedback, “o que exige de nós sermos cada vez mais genuínos”. Se há uma grande sensibilidade ao preço, com o poder de comparação que nunca existiu até agora – “com 3 cliques consegue comparar centenas de preços” – o consumidor está também “mais disponível para estímulos emocionais, o que exige de nós ter sempre uma camada de emoção, com muita genuidade”. É isso que o grupo está a fazer, no sentido de dar ao cliente novas experiências. Está, nomeadamente, a alterar o programa de loyalty, olhando para ofertas mais relacionais e menos transacionais. “Para nós, o cliente exige muita personalização, o que passa pelo unbundling dos produtos”, explica. CONSUMIDOR MUDA TODOS OS DIAS No retalho, a situação é similar: “o cliente muda todos os dias”, garante André Faria. O Chief Marketing and Consumer Officer da Jerónimo Martins, perante esta realidade, diz que é impossível perceber todas as alterações. “Quando olhamos para as nossas operações e vemos que há 700 mil pessoas a ir às nossas lojas, tentar olhar para cada uma e ver como está a evoluir o consumi-

REVISTA COMUNICAÇÕES

UPDATE

© APDC. Todos os direitos reservados. Contactos - Tel: 213 129 670 | Email: geral@apdc.pt