Views
1 year ago

3 - Executive Breakfast | Transportes um Setor em Mudança

  • Text
  • Ativos
  • Modelo
  • Infraestruturas
  • Novos
  • Necessidades
  • Sistema
  • Mobilidade
  • Desafio
  • Setor
  • Transportes
05 Maio 2015 | 08h30 Ritz Four Seasons

EM DEBATE Os

EM DEBATE Os responsáveis da Estradas de Portugal/Refer, Transportes Intermodais do Porto/CP, Barraqueiro e Thales debateram as mudanças que estão a ocorrer na mobilidade e as tendências que marcam o setor desenvolvimento e no futuro do setor. Cada vez mais focados no cliente e nas suas necessidades, os players não têm dúvidas de que tudo está em profunda transformação. E de que as TIC deverão assumir-se como um verdadeiro parceiro num processo de evolução e/ou disrupção. Começando por discordar do orador inicial, já que não antecipa para Portugal e para a Europa nenhuma tendência demográfica significativa em termos de aumento dos volumes de mobilidade das pessoas, António Ramalho considera que haverá no entanto uma inevitável reorganização e concentração dos transportes nos centros urbanos. Que irão responder nomeadamente ao significativo aumento da mobilidade virtual, consequência de um mundo cada vez mais digital. Por isso, o presidente da Estradas e Portugal e da Refer e futuro líder da Infraestruturas de Portugal, em processo de criação e que resultará da fusão das duas empresas, antecipa que haverá alterações substanciais na mobilidade urbana. Não tendo dúvidas de que “vamos ter que encontrar conceitos novos do ponto de vista de mobilidade global”, sendo que cada solução concreta dependerá das características próprias de cada cidade, terá que se “compatibilizar a gestão dos fluxos e das frequências, destruindo os horários, no caso dos transportes de concentração urbana. E vamos ter que trabalhar a reconstrução dos horários dos transportes intercidades. Isto vem alterar o paradigma do modelo da mobilidade”, com a mobilidade de mercadorias a ganhar uma nova dimensão, já que esta é que tenderá a crescer. Em paralelo e cada vez mais, o modelo dos transportes deixará de dar prioridade ao

5 ambiente para se centrar num modelo energético. Considerando o atual sistema de transportes “um modelo claramente dos anos 60 e que está a ir calmamente à falência”, não tem dúvidas de que terá que se ajustar a uma nova realidade que não é de crescimento. “Vamos ter que ajustar as respostas a mobilidades diferentes”, de acordo com os movimentos que o mercado impõe. O que “não retira nada da importância da adoção de soluções co-modais. E vamos tê-las, sobretudo porque a gestão de infraestruturas se vai basear em dois conceitos: serviços ajustados e low-cost. Inevitavelmente, estas serão as soluções que a infraestrutura vai impor”. Num cenário em que há que saber como se vão gerir os ativos já existentes, já que o negócio entrou em modelo de maturidade típica, que “obriga a concentrar na cadeia de valor e em ganhar dinheiro”, António Ramalho destaca a importância da sensorização, da internet das coisas, do big data e dos novos providers de informação. Estes são desafios e oportunidades para as TIC, que terão que ganhar capacidade de resposta para o setor dos transportes ultrapassar os constrangimentos com que ainda se defronta. Aproveitar todo o potencial das TIC nestas áreas permitirá novos modelos de gestão dos ativos e a disponibilização ao mercado de ofertas diferenciadoras. E enquanto representante das infraestruturas, garante que haverá “ alterações profundas no modelo de gestão da circulação. Com gestão à distância e com pouca intervenção humana. É bom que os gestores de infraestruturas pensem nisso, porque se não o fizerem serão outros a trabalhar este aspeto. Como já aconteceu na gestão da informação, que era propriedade da infraestrutura e é hoje um ótimo negócio dos gestores tecnológicos. Porque a infraestrutura nunca percebeu que tinha aqui um negócio”. Cristina Dias, Presidente da Transportes Intermodais do Porto e Vice-presidente da CP, considera mesmo que o setor é “um setor em transformação convergente”. Com a população cada vez mais concentrada nas grandes cidades, os transportes têm o desafio de ajudar no crescimento sustentável e verde. Especialmente Mais de 100 participantes das TIC e do setor dos transportes estiveram nesta iniciativa da APDC

REVISTA COMUNICAÇÕES

UPDATE

© APDC. Todos os direitos reservados. Contactos - Tel: 213 129 670 | Email: geral@apdc.pt