Views
1 year ago

24 - Digital Business Conference| E-Commerce

  • Text
  • Pagamentos
  • Sucesso
  • Oportunidade
  • Hoje
  • Grande
  • Digital
  • Portugal
  • Ecossistema
  • Mercado
  • Clientes
23 mai 2017 | CCB

Digital

Digital Business Conference Sessão ‘A Visão do Ecossistema” Pedro Santos Head of E-commerce & Mobile, Sonae MC “Um retalhista tem que trabalhar como um canal integrado e com experiências seamless. Mas cada canal deve ter uma estratégia diferente, pensada tendo em conta a complexidade da jornada de compra” “Não há respostas únicas para o mercado. O consumidor já mudou e continuará a mudar. Por isso, temos que ter proposta de valor ímpar, conhecendo bem o cliente e oferecendo um leque de pagamentos muito significativo” “Para ganhar escala e crescer nesta realidade é preciso ter notoriedade e confiança. Unir forças é aqui fundamental e tem resultados. É uma questão de opção, as existem todos os argumentos para que modelo possa ter sucesso” Miguel Fernandes Head of Sales & Business Development, Paypal Portugal “O que faz com que muitos portugueses comprem lá fora é o facto de haver uma marca de confiança nos pagamentos, que garante segurança para quem compra e para quem vende. Ultrapassámos já os 600 mil clientes ativos em Portugal” “Há fatores estruturais que são barreira à digitalização no mercado nacional. As skills e o tecido empresarial têm um caminho a fazer” “Se queremos mudar hábitos de clientes, temos que lhe dar algo que seja significativamente melhor. É preciso promover a inovação em larga escala. Não chega ter um site e esperar que as pessoas vão lá comprar”

11 Também a OLX Portugal está a evoluir rapidamente. Este projeto, originariamente da África do Sul, está presente no mercado nacional, sendo o único país da Europa Ocidental onde está. Tendo sempre o projeto o seu foco em bens de transação rápida e fácil, tem vindo a evoluir para outras categorias, como imóveis a emprego, com uma crescente aproximação ao mobile. É que hoje, 60% do tráfego é feito via aplicações mobile, refere a sua General Manager, Rita Marques. Todos os dias são colocados 24 mil anúncios privados no OLX. “A dinâmica é rápida neste e-marketplace. Só assim conseguimos puxar o tráfego para outras categorias que são mais rentáveis”, diz a responsável. Ao assumir-se como uma plataforma gratuita, o OLX chamou cada vez mais utilizadores profissionais para os quais foram lançadas ofertas à medida, pagas, que funcionam como mini-vitrines dos seus produtos. Hoje, tem muitas PME que vêm potencial para alavancar os seus negócios e vender produtos. E Rita Marques promete mais disrupção e novas ofertas e tendências em Portugal para utilizadores profissionais e individuais. A Followprice também nasceu de uma necessidade de mercado: agregar numa solução única todas as informações sobre um produto específico preferido pelo consumidor. Para o Founder & CEO do projeto, João Leitão, o objetivo foi responder aos reais interesses do consumidor de uma forma segmentada e direcionada, dando às marcas a possibilidade de fazer ofertas muito mais direcionadas e segmentadas. “Geramos confiança entre a loja e o consumidor, com transparência. A nossa proposta de valor para lojas é aumentar as vendas e criar potencial de compra. Para os clientes, através do botão FollowPrice em lojas online, passam a ser avisados sobre produtos e campanhas”, explica. Hoje, a solução já está presente em mais de 400 lojas em todo o mundo e a previsão é de um rápido crescimento. E João Leitão garante que não vai ficar por aqui. Depois de terem adquirido uma empresa de Braga na mesma área, adianta que em breve haverá “novas soluções para os clientes acompanharem evolução dos produtos. O desafio é levar botão universal aos 4 cantos do mundo, provando que engenharia portuguesa tem valor e que podemos crescer em escala”. ECOSSISTEMA quer MAIS COLABORAÇÃO Na cadeia de valor do e-commerce em Portugal, a necessidade de uma maior colaboração entre todos os players é considerado como o caminho certo para crescer e ganhar dimensão. Cooperação e parcerias, nacionais e internacionais, são vistas como prioritárias, porque a janela de oportunidade do comércio eletrónico tem um timing e há que o saber aproveitar e garantir o sucesso. Esta foi a opinião unânime dos oradores que participaram no debate da sessão “A Visão do Ecossistema”, moderada por Ana Felipa Almeida, Senior Manager da Accenture Strategy. Num retalhista como a Sonae MC, toda a complexidade da jornada de compra tem que ser pensada e tem que se saber gerir um vasto conjunto de interações nos vários canais de uma forma integrada. Para Pedro Santos, Head of E-commerce & Mobile, não há respostas únicas para o mercado, porque se o consumidor

REVISTA COMUNICAÇÕES

UPDATE

© APDC. Todos os direitos reservados. Contactos - Tel: 213 129 670 | Email: geral@apdc.pt