Views
1 year ago

24º Congresso das Comunicações

  • Text
  • Presidente
  • Portugal
  • Congresso
  • Grandes
  • Grande
  • Marketing
  • Dados
  • Forma
  • Oradores
  • Apdc
Congresso APDC 2014

PWC LANÇA 15ª EDIÇÃO

PWC LANÇA 15ª EDIÇÃO DO “GLOBAL ENTERTAINMENT & MEDIA OUTLOOK” Na 15ª edição do Global Entertainment & Media Outlook são, uma vez mais, analisadas as tendências de consumo dos utilizadores e a forma como os novos padrões de consumo podem levar à alteração da estratégia dos players do setor. É um estudo de referência da PwC no qual são analisados os dados passados e previsionais do setor, com referência a 54 países. De acordo com este estudo, nos próximos cinco anos, as receitas globais do Entertainment & Media vão continuar a crescer ligeiramente abaixo do PIB global, mantendo a tendência até agora verificada. O crescimento da publicidade digital deverá superar o crescimento dos gastos dos consumidores neste domínio. Desta forma, torna-se imperativo para as empresas a aplicação de uma “mentalidade digital” que SAS É LÍDER EM MARKETING MANAGEMENT INTEGRADO Pelo quarto ano consecutivo, o SAS é líder anual da Gartner em Marketing Management Integrado. A empresa alcançou o seu lugar de líder pela sua reconhecida capacidade de execução, assim como pela sua visão global sob uma perspetiva de estratégia de produto. O Marketing Management Integrado apoia o processo de marketing do início ao fim através da integração de quatro componentes principais – estratégia e operações, marketing analítico, execução multicanal e capacidade de inteligência digital. O ciclo do processo de marketing estende-se através do planeamento, atribuição de recursos, criação, gestão de projeto, direção, execução e por fim, avaliação e análise que ajuda a otimizar os futuros processos e campanhas de marketing. lhes permita posicionarem-se adequadamente para se manterem competitivas neste contexto. Este Outlook, sendo uma abordagem profunda ao setor de Entertainment & Media, apresentase como uma ferramenta de sistematização de dados – seguramente importante para a tomada de decisões de negócio. A PwC volta a demonstrar a sua experiência, no evento de referência do setor, o 24º Congresso das Comunicações, da APDC. Manuel Lopes da Costa, Advisory Lead Partner da PwC, participa no Congresso como apresentador de tendências e moderador do painel “O Estado da Nação dos Media”. Os dados deste estudo da PwC estão disponíveis em: http://www.pwc.com/outlook Este reconhecimento representa o retorno do investimento feito nesta área e que posiciona o SAS, pelo 4º ano consecutivo, numa posição de liderança, refere Fernando Braz, Executivo do SAS Portugal. A empresa foi ainda nomeada líder no Magic Quadrant da Gartner pela Gestão de Campanhas Multicanais de CRM, pela Gestão de Recursos de Marketing e líder na Forrester Wave: Cross-Channel Campaign Management Platforms. Recorde-se que em abril de 2014, o SAS lançou a última versão do SAS Customer Intelligence para ajudar as empresas a cruzar dados, analisá-los e visualizá-los de forma a torná-los mais digitais. A solução atualizada permitiu, de forma mais rápida do que nunca, um acesso aos dados digitais de várias fontes. ERICSSON MOSTRA TENDÊNCIAS DE CONSUMO DE TV E VÍDEO A visualização de vídeos em streaming está cada vez mais próxima da tradicional televisão linear, com uma diferença de apenas 2% em termos de consumo semanal. E regista-se um aumento de 25%, em apenas dois anos, no número de consumidores dispostos a pagar o acesso a conteúdos em qualquer dispositivo, demonstrando uma vontade acrescida de pagar para ter ”acesso em qualquer lugar”. O ‘binge viewing’ está a acelerar com a crescente popularidade dos novos serviços de vídeo on-demand. Estas são algumas das ptincpais conclusões do ConsumerLab TV & Media, um estudo anual desenvolvido pela Ericsson. Este trabalho concluiu que em Portugal 78% dos consumidores visualizam conteúdos em streaming várias vezes numa semana ou mais, face aos 69% que veem a televisão linear também várias vezes numa semana. A 5ª edição do estudo mostra que a mudança no comportamento do consumidor continua a impulsionar as alterações nas indústrias de televisão e de media, o que levou a um afastamento de antigos formatos e de modelos de negócio e ao início de uma era de entretenimento de alta qualidade e ondemand. Aumento no tempo despendido na visualização de conteúdos em smartphones e tablets, canais de tv tradicional e pagos vistos como “repositórios de conteúdos”, mudança para serviços video on-demand por subscrição (S-VOD), como o Netflix e o Hulu são outras tendências. RENTELECOM expande Datacenter de Ermesinde A RENTELECOM concluiu mais uma expansão do seu Datacenter de Ermesinde. Esta infraestrutura situada numa das zonas de mais baixa intensidade sísmica do nosso país (Zona VI), caracteriza-se pelo baixo risco de inundação e de ciclones. Além destes factores, o Datacenter está fora da malha urbana mais densa e dos corredores de servidão aérea. O Datacenter está alimentado por um anel de média tensão com 2 ramais de 15kV dispondo de 900kvA totalmente redundantes (2N) e socorridos por grupos geradores de emergência. Os serviços prestados pela RENTELECOM estão no âmbito das certificações de qualidade ISO 9001, ISO 14001 e OHSAS 18001. Estas características posicionam o Dacenter de Ermesinde da RENTELECOM como um dos melhores datacenters nacionais. O Datacenter dispõe de uma área útil máxima superior a 1.400m2. Para além de clientes de referência, que têm os mais elevados padrões de exigência de qualidade e segurança (como é o caso do sector das utilities e do sector da banca), estão presentes no Datacenter todos os operadores de telecomunicações nacionais, assegurando neutralidade de acesso e a mais completa redundância de acessos e fornecedores em acréscimo aos serviços de conectividade prestados pela própria RENTELECOM. A recente expansão permitirá disponibilizar novos serviços no piso 3 do Datacenter de Ermesinde e desta forma atender à procura crescente até um máximo de cerca de 120 bastidores. 6

CISCO: ACELERAR A ‘INTERNET OF EVERYTHING’ COM O ‘FAST IT’ A ‘Internet of Everything ‘ou IoE, ao aproximas pessoas, processos, dados e coisas, está a tornar as ligações de rede mais valiosas do que nunca. Mas os desafios da complexidade, velocidade e resiliência são cada vez maiores. Para os enfrentar, impõese a adoção de um modelo de IT, o ‘Fast IT’, que transforma a infraestrutura, tornando-a mais flexível, automatizada, simples e segura. Este modelo unifica a computação, o armazenamento, a rede, a virtualização e a gestão das soluções, reduzindo complexidade e custos operacionais e criando novas capacidades e serviços que acrescentam valor ao negócio, protegendo assim o investimento. E responde ainda de forma inteligente e dinâmica a todas as ameaças. Estas são as conclusões de um estudo da Cisco, que mostra ainda que com este novo modelo para as TI, todas as áreas da organização ficam unidas por um ambiente de TI - infraestrutura, software middleware e aplicações – com redução da complexidade e capacidade para capitalizar o potencial da IoE. O estudo garante a transformação do negócio, construindo-se uma infraestrutura de TI mais ágil ec om capacidade de resposta às ameaças. Nomeadamente em termos de segurança Com iniciativa Smart Planet IBM TRABALHA POR UM PORTUGAL MAIS INTELIGENTE Desde que lançou a iniciativa Smarter Planet, há seis anos, a IBM tem estado na linha da frente no desenvolvimento e implementação de novas tecnologias para melhorar o funcionamento do mundo que nos rodeia. Tendo como apoio o sistema IBM Watson, tem trabalhado na procura de soluções que consigam transformar as cidades em locais mais inteligentes e competitivos, com o objetivo de oferecer aos habitantes melhores condições para viverem e trabalharem. Em Portugal, a IBM está a trabalhar com as câmaras municipais de Lisboa, Porto, Tomar e Ponta Delgada com vista a dinamizar a economia destas cidades, fornecendo ferramentas e conhecimentos em várias áreas. Para Lisboa foi desenvolvida uma plataforma móvel e colaborativa para agregar em tempo real dados de vários sistemas e organismos públicos e privados da cidade. Já no Porto, com um protocolo de cooperação com a Câmara Municipal na área da segurança, o Centro de Operações Integrado (COI) permite reunir serviços da autarquia e de entidades externas de modo a visualizar e monitorizar as ocorrências de toda a cidade de uma forma integrada. Em Tomar, implementou há um ano um novo Centro de Investigação (CENIT), que tem mostrado trazer uma nova dinâmica à cidade em várias vertentes, como criação de emprego e retenção de talento, fixação de habitantes, atração de novos investimentos económicos e exportação de serviços. E em Ponta Delgada, foi criado um portal online que funcionará como ferramenta de gestão e que proporcionará à autarquia uma visão amplificada de toda a cidade. ‘VUEFORGETM’ DA ALTRAN TRANSFORMA DADOS DA INDÚSTRIA EM NOVOS NEGÓCIOS Em indústrias como o automóvel, saúde, caminhos-de-ferro e até na energia, as máquinas estão cada vez mais ligadas e disponibilizam um crescente acesso aos seus dados. Estimase que o número de máquinas ligadas dispare e que cresça massivamente a quantidade de dados disponibilizados em todas as áreas e industrias. Para responder a esta realidade, a Altran desenvolveu o ‘VueForgeTM’, uma oferta end-to-end orientada para a recolha e análise de grandes quantidades de dados produzidos pelas máquinas, transformando-os em informação relevante e abrindo caminho a novos serviços e negócios. Esta oferta responde ao duplo desafio de conetividade dos setores industriais: como recolher os dados ao menor custo e com a melhor arquitetura e como os analisar para criar valor. A ‘VueForgeTM’ é uma plataforma que permite a recolha, transporte e armazenamento de dados na cloud, podendo ser analisados deforma totalmente segura e convertidos informação através de data analytics. Mais do que uma solução tecnológica simples, foi desenhada para criar novos serviços graças às suas metodologias e técnicas rápidas de prototipagem. Inclui ainda a a exploração de novos modelos de negócios e a implementação de ecossistemas. De acordo com Keith Williams, Group Vice-President Intelligent Systems, refere que o VueForgeTM é a única oferta de Internet of Machines que combina tecnologia, usabilidade e novos modelos de negócios que são chave para o sucesso no complexo domínio da conetividade. SAP tem novas aplicações de negócio para a internet das coisas A SAP tem três novas soluções para a Internet das Coisas (IoT): a SAP Predictive Maintenance and Service, o software SAP Connected Logistics e a aplicação SAP Manufacturing Execution. As novas soluções foram concebidas para alavancar a SAP HANA Cloud Platform para habilitação de aplicações com capacidades avançadas, tais como computação em memória, analítica preditiva e processamento de eventos complexos. Como parte do seu contínuo compromisso para a inovação nesta área, a SAP anunciou também a alocação de 500 programadores dedicados a apoiar as várias iniciativas da IoT. Para Bernd Leukert, membro do Conselho Executivo da SAP, Produtos e Inovação., “a IoT será o fator chave em vários cenários da indústria e da inovação na economia digital. Está na convergência dos mundos digital e físico, estando não só a estimular novos produtos e serviços como também a mudar os modelos de negócio. A IoT tem o potencial para melhorar drasticamente a capacidade de resposta das empresas, reinventar a experiência do cliente e oferecer novas oportunidades e novos modelos de negócio”. As soluções da SAP para a IoT são potenciadas pela SAP HANA Cloud Platform, a principal plataforma de capacitação e de desenvolvimento de aplicações, que disponibiliza a faculdade de gerar conhecimento em tempo real a partir de sensores de dados, e capacidades avançadas, como computação em memória, geolocalização, telemática, analítica preditiva e processamento de eventos complexos. Além disso, a SAP HANA Cloud Platform oferece APIs abertas que permitem que outros fornecedores desenvolvam aplicações para a Internet das Coisas. 7 www.apdc.pt

REVISTA COMUNICAÇÕES

UPDATE

© APDC. Todos os direitos reservados. Contactos - Tel: 213 129 670 | Email: geral@apdc.pt